sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

champagne me traz

champagne me traz
apraz-me sempre aqui estar
encobrir
mostrar
sonhar
radicalizar...

oh...tempo
senhor de tudo
do olfato à visão
das rimas à compreensão
do coração ao descompasso
do abraço...

melhor sair
quem sabe fugir
da política
da crítica
da vergonha de latina ser
oh...não quero isso dizer...

na infância aprendi
educação
respeito
sinceridade
verdade
por que só vejo falsidade...

lugares de respeitabilidade
viraram circo
rabisco um poema
capenga
não quero crer
não quero ver...

esse não é meu país
esse não é meu sonho
quero acordar
é pesadelo...


segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

aprendiz de outro lugar

frio inverno se foi
primavera anda alta
frescor matinal acalma
memória na frescura
sente na pele doçura
revive dias iguais
outonais sabores
cores inesquecíveis
dança de folhas no ar
aragem do norte sentida
passos firmes...decidida...
vida...vida... te vivo assim...
te abraço...te enlaço feliz
aprendiz de outro lugar
de inesquecível sonhar...

cantar alegre

lugar de expressão da alma
jeito raso
profunda compreensão
intenção plena
atenta sinfonia
do espírito
em ampla entoação...

cantar alegre
rir fartamente
demente
ao vento
alto
ínfimo resto...

quanto
tanto fere alegria
ao ímpio
ao pó
ao só
ao trôpego de filosofia...




outras... as artimanhas... talvez...

surpreendo-me ainda
com fazer-se interessado
com esquecimento dissimulado
com discurso retorcido
com cera no ouvido...

surpreendo-me ainda
com falta de comprometimento
ações ao vento...

surpreendo-me ainda
compreensão
nâo a tenho
pra entrar na escuridão
emaranhada relação...

caminho por outra estrada...
teto não foi o mesmo...
alimento não satisfez...
outras...as artimanhas... talvez...