quarta-feira, 31 de agosto de 2016

brasil...meu país...

poesia andou calada
guardada talvez...

tempos incertos
nuvem céu encobriu...

brasil...meu país...
atraiçoado
políticos vis...

povo lamenta
intenta entender
congresso presidenta baniu...

seu crime
pasmem
defesa do pobre...

e aquele pensa que é nobre
tem medo
corrompe senado
quem é fraco
coitado
sucumbiu...

no entanto defesa
na garganta presa
sairá...

espere e verá
no voto futuro
novo futuro virá...

não há que entender
direito ontológico
resiste
até acontecer...



terça-feira, 23 de agosto de 2016

palavra ação

palavra afiada
pelo vento levada
palavração
mais nada...

na reflexão
profunda
clarão
iluminação...

todo poder na palavra
tornada ação...

madrugada

silêncio na casa
me pergunto
resposta não sei...

história vivida
noite vencida
madrugada insiste...

banho quentinho aconchega alma
descansa sonho
quem sabe traga resposta...

noite...
não impedirá madrugada...