quarta-feira, 6 de abril de 2016

outono molhado

chuvarada
trovões na madrugada
outono molhado
dias nublados
saudade de céu de infinito azul...

lava firmamento
chuva
varre tempo pé de vento...

mentes nubladas
agora lavadas
clareiam no dia gris...

corações pesados de poeira
encharcados
perdem as estribeiras...

rio riso largo
trago no peito vontades de chuvas
de tempestades
de ventanias...

avessos às mesmices
entardecem cedo os dias
ensombrecem ao prazer da hora
deságuam mágoas
trovejam decisões
arejam mentes
celebram corações em sintonia...

magia pura
sem cerimônia de ser outono
assim outonado
assim nublado
enchuvarado
entrovejado
ensimesmado pra uns
pra outros alucinado...




Nenhum comentário: