sábado, 19 de março de 2016

astros da ocasião

desprender-se dos possíveis laços
também dos impossíveis
prescindir da vida
voar sem traços
ladrar ao vento
puro pensamento...

fogo no mar crispado
silêncio na escura nuvem
despencar de tempestade
raio de mutação
dança no furacão...

insólito poetar
consciência singular
tão simples de ver a vida
tão misterioso nascer
tão certo morrer
tão grato perceber...

nublado entardecer
claro amanhecer
vestes da madrugada
trarão final da estrada...

sem luz de fraca neblina
sem confronto que alucina
sem dor de egoísmo feita
sem pranto de despistada culpa...

voará parca vida
na dimensão do universo
céu de lua enluarada
pra derradeira lição
ao pé da porta sentada
na banca de cortiça entalhada
pela mão de maestria
a ouvir doce paterna explicação
do movimento dos astros da ocasião...







Nenhum comentário: