quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

nesta e noutra vida

não compactuarei com a futilidade
com a falsidade da hora
com a demora da afabilidade
com a falta de compreensão
com o anunciado medo
com o segredo codificado
com o indizível
com o inintendível...

quero a leveza do olhar
lugar pra descansar por vezes
energia nos revezes
privilégio de desfrutar da alegria
braços em abraço abertos
coberta quentinha no inverno
fresca sombra no verão
irmão na luta irmanado
se de outra cor ou crença
daqui ou de outro lugar
importa o verbo amar
sangue nas veias guardado
pra dar sustento somente
gente a sorrir no contentamento
ao vento norte ou sul
neste ou noutro chão
mão estendida pra unir
construir
cantar
evoluir
ainda neste plano possível
pra voar na partida
feliz ser
nesta e noutra vida...

Nenhum comentário: