sexta-feira, 2 de outubro de 2015

fundo do olhar

um dia tristeza havia
no fundo do olhar...

desentendida ali ficava
morava em todo lugar...

tempo passou
ali permaneceu...

cresceu na certeza
já pus mesa...

aos poucos... devagar
nova estação a reinar...

desabitou nevoeiro
lentamente vento soprou...

olhar clareou
alma alegrou por inteiro...

do fundo do olhar
para a profundeza do mar...

por certo anjos tocaram
sinfonia radical...

sonoridade... clareza...
boniteza de alma...

suavidade... afetividade...
fé... dedicação...

não são por certo
substantivos abstratos...

agradecida na substantivação
na oração cotidiana...

na claridade da concretude
corpo e alma em juventude...


Nenhum comentário: