domingo, 29 de março de 2015

ao frescor do outono

maude sorri
brisa no rosto
roupas embalam no varal
tal sinfonia
em leve balanço rodopiam...

sussurro ao ouvido
não despercebido
da folha em muxoxo
ao frescor do outono
doce abandono...

sol aparece com preguiça
desperdiça vontade
sonolência habita quintal
no embalo da manhã desigual...

Nenhum comentário: