sábado, 28 de fevereiro de 2015

grita-me céu de outono

                                              Mercado Público em Pelotas- RS- Brasil  - photo by Marília Vaz                                    

 

grita-me céu de outono
preciso te ouvir
banha-me com tua magia
na manhã levemente fria...

salva-me de mim
abranda-me na insana lida
leva-me ao sabor da outonal brisa
quero ser inteira
quero amanhecer faceira na luz nascente
quero passo em falso
quero abraço do sol na alma
quero ausência de calma...

grita-me céu de outono
preciso te ouvir
banha-me em amplo abandono
antes do derradeiro sono...

ao poente de mim

                                                                              image by ultradownloads.com.br


mesma ação
não gera nova resposta
eu sei
mas não sei agir de outro modo...

urge mudar
preciso olhar
desde outro lugar...

ser mais distante
preciso estar
noutro lugar...

desvincular-me
descomplicar-me
preciso voar...

lançar-me ao oceano
esquecer-me de mim
que me prende
me amordaça
sem graça de não ter graça nenhuma...

preciso perder-me de mim
achar novos conceitos
ou nada encontrar
andar descalça do vazio
pés nus no frio
mente desafogada
pelas calçadas
pelas areias
pelas águas
pelas nuvens de tempestade
pelos tufos de algodão dourado ao poente de mim...



sábado, 14 de fevereiro de 2015

salve... pomba gira


Resultado de imagem para imagem de pomba gira maria padilha
                                                                             imagem de pomba gira da umbanda




aberto coração ao entendimento
sabedoria se faz
presente de vida em harmonia
presente de viver em alegria...

salve... iluminação benfazeja...

salve... compreensão do ritmo da vida...

salve... pomba gira...

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

passagem... mistério de sentido...

fácil dizer te amo
difícil às palavras dar sentido
esquecer hora
calar palavra
ficar junto
ouvir
mesmo se for outra vez a mesma história...

quem me gestou
pariu
cuidou
educou
hoje necessita de acompanhamento
entendimento de suas mazelas
de quase criança tantas vezes...

coração fica pequenininho
tenta entender situação
perde paciência
quer de volta antiga força
antiga determinação...

tempo... senhor da vida...
atua sem cerimônia
revela faces
descobre intenções
cobra cuidados
anuncia passagem...

passagem...
mistério de sentido...

gentilmente

ao ritmo do dia me faço
ou me refaço cotidianamente
envelheço
juventude me surpreende... todavia...
atenta a mente
suave o coração
na canção da batalha
insano não será
o esforço
o esboço
na nuvem entardecente
gentilmente
amanhece sempre o dia...