sexta-feira, 28 de março de 2014

à luz

                                                                           photo by maude poesia

faço-me à luz
a espiar em raios
a balançar em folhas
a mexer nos trapos do mundo
a bulir na vida
despreocupada ao abrigo
sentida
indefinidamente definida
sentida ao largo da trilha
continuada
bordada
na tranquilidade irrequieta
desperta pela madrugada de si mesma...

Um comentário:

SOL da Esteva disse...

A Luz, sempre atraiu os Seres, mesmo aqueles que alí encontram o seu fim material.
O teu Poema transmite a tranquilidade que regenera e acorda pelo rosicler da aurora.
Excelente.



Beijos


SOL