domingo, 3 de novembro de 2013

ao samba enredo da fútil vida

                                                                                photo by maude poesia


reais cara e alma
escondidas
sofridas ambas
no samba enredo da fútil vida
passarela inútil
borrada fisionomia
empobrecido sorriso
abraço esquecido
verdade escorrida
sopro de brisa
não limpa ferida...

em vão entender
jeito conturbado de viver
dores aprofundam
analgésicos abundam
amontoa-se desconforto
um torto jeito
nem chega a ser defeito...

em vão desmontar postura
cura buscada
não dá conta
aparência
rainha da dor
do desconsolo
da camuflada tristeza de viver
presa ao engano de ser...

na ignorância do cultivo
crescem
apodrecem
quaisquer perspectivas
de sair da passarela
ao samba enredo da fútil vida...


Nenhum comentário: