terça-feira, 16 de julho de 2013

mango detrás da porta

                                                                            photo by maude poesia


mango detrás da porta
revela chão de valor
não é a qualquer senhor
que bênção se considera
do fundo de história vivida
de fundamento de vida
jeito de cara lavada
se mostra assim por inteiro
de janeiro a janeiro
através da invernada...

desde infância levada
no riso
porém no respeito
curtiu-se gesto de fibra
não sou qualquer rapariga
que se marca no lombo
tombo garanto ao índio
que se meter a gracioso
no próprio lombo garanto
levar marca do meu mango...

grossa dirão
pois que o digam
não ligo
mas não se meta
a fazedor de lorota
não esqueça
o mango
cá está detrás da porta...

3 comentários:

Marília Vaz disse...

Melhor nada comentar, para não me comprometer. Hehehe!

Marília Vaz disse...

Melhor não comentar ... Hehehehehe!!

Vera Luiza Vaz disse...

Marília,vez ou outra a inspiração vem do profundo sentir histórico.
Quiçá Ana Terra tivesse um mango, um relho, para expulsar os "castelhanos", quando estes se avizinhavam para saquear.
Hoje os tempos são outros, mas os saqueadores ainda persistem...
Tem, o mango, então, finalidade atual!!
Grande abraço,guriazinha!!