quinta-feira, 28 de março de 2013

américa do sul agora

Sinopse e detalhes



Che Guevara (Gael García Bernal) era um jovem estudante de Medicana que, em 1952, decide viajar pela América do Sul com seu amigo Alberto Granado (Rodrigo de la Serna). A viagem é realizada em uma moto, que acaba quebrando após 8 meses. Eles então passam a seguir viagem através de caronas e caminhadas, sempre conhecendo novos lugares. Porém, quando chegam a Machu Pichu, a dupla conhece uma colônia de leprosos e passam a questionar a validade do progresso econômico da região, que privilegia apenas uma pequena parte da população.
Lançamento: 2004 (2h 6min)
Direção: Walter Salles 
Com: Gael Garcia Bernal, Rodrigo de la Serna, Mercedes Moran 
Gênero: Histórico, Drama 
Nacionalidade: Argentina, Brasil, Peru, Chile, Estados Unidos

                                         image of the ruins of Machu Picchu in Peru


jeitos
cantares
lugares
gentes
vegetação
olhares...

bichos
peixes
passaradas
calor
vento da cordilheira
frias madrugadas
escassas falas
quietos mirares...

campos
planícies
montanhas
rios
mares
lagos
risos largos
fundos contares...

inocentes gestos
ditatoriais dominares
jeitos e gentes na história
distantes
perdidos lugares...

culturas diversificadas
ocultas
dizimadas
perdidos laços
conservados traços...

miscigenação
transformação
idéias
busca de antigas raízes
aprendizes de variadas culturas
nas lutas de libertação...

história de heróis fabricados
história de verdadeiros heróis ignorados
olhar interno grita
voz oculta busca
clarão da madrugada...

luz de dia amanhecente
clara iluminação de aurora
américa do sul agora...

quarta-feira, 27 de março de 2013

perdidos lampejares

                               paisagem chilena- agosto de 2004 - in www.baixaki.com.br


andares de olhos andejantes
falares de pés falantes
olhares de mãos olhantes
poetares de seres continente
depois de neruda sobreviventes...

mente voa em assobio 
penetra regiões distintas
antigos lugares
anseios
sonhares
perdidos lampejares
folhas cadentes
cheiro de chão coberto
úmida terra de poetar de inverno...

tronco aberto no divagar insistente
longe
dormente
véu de vento voa em solenidade
amenidade enferma tristemente vai
ao surgimento de versos em ais...

sobram cântigos em torres
louvores tais de confidente cerne
regem
governam
alimentam desde as catedrais...

segunda-feira, 25 de março de 2013

cruzeiro do sul

                         imagem pedagógica de orientação pelo cruzeiro do sul em www.cdcc.usp.br


mente se aclara a mirar o céu azul
da memória chegam imagens de beleza
ar noturno debaixo das estrelas
infinito estrelado da américa do sul...

bendito céu a acolher desde a infância
grata vivência sob celeste manto
encanto infantil adormecido
desperta ao sopro de sentido...

vivo aprendizado de astronomia
orientação na amplidão dos pampas
na hora própria de geração do amor
entendimento do infinito ao dispor...

noites bageenses ... minuano de frias geadas
passarada ao pouso cedo se recolhia
criançada livremente o céu observava
na cintilante presença do cruzeiro do sul...


sopro de madrugada

                                                              photo by maude poesia

mínimas ações
amplas reflexões
concretas possibilidades
desconhecidas habilidades
ampliada independência
escolhas renovadas
suave sopro de madrugada...

energia guardada
explorada na utilidade
generosa modificação
cuidado do entorno
retorno certo de alegria
água fria na fervura da negação...

desnecessária explicitação
simplificação de filosofia
enriquecimento de ser
descoberta de cada amanhecer...

sexta-feira, 22 de março de 2013

vênus e marte... ontem e hoje...

 “Marte e Vénus”,de 1483, pintada por Sandro Botticelli, encontra-se atualmente na Galeria Nacional, em Londres


de corporal valorização
marte aliena intenção
de vênus pura energia
de espiritual valentia...

assusta-se em desengonço
recolhe-se apressado
cavaleiro mascarado
ao vislumbre de face
de vida de vida marcada...

disposição atrevida
alegria destemida
fé em toda jornada
vênus atarefada
entende a dupla missão
de vida e de expressão...

um dia falou o amigo
amigo de outra amiga
há que ter pressa querida
a aparência desbota
e a valorização sabota...

resposta em voz calou
algoz de estranha opinião
não entende a face presente
face livre... independente...

dias de sol
noites de chuva
neblina cobriu o céu
varreu o vento a rua
escureceu a lua
desnudou copas de árvores
rodou o mundo rodou
a conclusão esquecida
presente na incompreensão
de marte  sem espelho decente
que o faça ver-se de frente...

se marte vê somente corpo
melhor tomar providências
de cirúrgicas plastificações
muitos são os senões
a encobrir externa beleza
se algum dia a teve
no interior nunca floresceu...

vênus em rumo valente
de alegria às vezes descontente
no entanto ao deitar à noite
não há zumbido de açoite
de ilusão...  de opressão...

vênus de cara lavada
de finas vestes trajada
sempre a mesma postura
enquanto marte à procura
da juventude perdida...

atropela anjos na busca
da própria face esquecido
do tempo que não o esqueceu
triste engano o seu...

preconceitos não considerados
anjos e querubins
de outros anjos afins...

velhos viajantes do tempo
sentem de outro sentido
se seu tempo continua bem vivido...




livre exercício

                                                           photo by maude poesia


refúgio à reflexão
necessária respiração
retiro do olhar do mundo
lugar de amplos segundos...

oração de puro existir
riso sem opressão
céu infinito azulado
sem hora de terminar
expressar amplo de sentimentos
sem temer direção dos ventos...

escancarar todas as portas
janelas do espiritual
estender cama no quintal
dormir em colchão de nuvens
despir-se de todas as mágoas
ascender aos sonhos inusitados
sentir-se inteiramente gratificado...

libertas a fé
a disposição
coragem de aceitação
livre exercício de poética expressão
traz vida sem exceção...

quinta-feira, 21 de março de 2013

vaga de vento da poesia

                                          imagem em giselepontes.blogspot.com
 

no fundo olhar encontro
olhar de amorosa companhia
no abraço quente de afeto
abraço forte
abraço ousadia...

não foge sentido de vivência
demência certa
não entender
no tempo o não esquecer...

passos perdidos
tecidos planos
enganos tontos
colheres tortas
portas ao desentendimento...

rugem ventos
trovejam palavras
sentenciam ações
sobrevivem intenções
não movimentos desejados
não planejadas emoçoes...

entender
desentender 
aceitar contradições
noites de partida
rumo à vida...

faz-se internamente o ser
desfaz-se ao amanhecer
constrói-se ao frio da tarde
na vaga de vento da poesia arde...

meu tempo... teu tempo...

                                                         photo by maude poesia


lá vai o tempo
o dia
o momento seguinte já chega
pega-nos pelo pé mesmo
marca a face
marca a vida
enebria
entontece
cresce também no jeito
novo de sempre
ver
querer
fazer...

aqui vai o tempo
meu tempo
teu tempo
entendê-lo
quem há de...

na teoria das cordas me enlaço
me encontro no meio da poesia...

luminosa manhã


                                                photo by maude poesia


luminosa manhã
abraça o dia
persistente floração
intensifica os sentidos
amplia a esperança
na amenidade do outono
chegado a transformar
embelezar a quietude matinal...

energia mutante de idéias
de concepções
de emoções amadurecidas
na plenitude do envelhecimento
saudável
aceitável
imutável da vida...

transformador de preconceitos
ao leve balanço das folhas
a se deixarem levar pelo tempo
na magia da cósmica mudança
movimento de outonal transmutação...

luminosa manhã
hoje
amanhã
na claridade
na neblina
juventude menina
na vontade
na simples verdade
espírito iluminado em qualquer estação...

quarta-feira, 20 de março de 2013

com pernas para o ar... andar...

                                                      photo by maude poesia

concreto... abstrato...
paixão... recato...
superficial... profundo...
inteiro... metade...
mínimas atitudes
amplas atuações
versões de escolhas
possíveis... impossíveis...
críveis ou ainda não...

linha de equilíbrio buscada
ah... não ser sempre buscador
saco...
melhor não ouvir
ir no rumo desejado
ah... desejo é até pecado
saco...

escolhas mínimas
ou amplas
ações concretas
ou absurdamenbte abstratas
sonhadas
ah... se sonhar é proibido
tô fodido
sonho... sonho... e realizo...
preciso sonhar
preciso voar
pra melhor caminhar...

pés no chão
cabeça nas estrelas
ou o oposto
com pernas para o ar
andar... andar... andar...


de pamparra

                                                       photo by maude poesia

despenca céu de pamparra
água na calha ruge
folha ao caule se agarra
outono chega apressado
quer tudo... tudo lavado...

comprido olhar
sentimento fundo
lá fora se esvai mundo
de dores
de amenidades
de vaidades
de agonia
nas águas caídas do dia...


ares de meu outono

                                              photos by maude poesia


torcem-se galhos
voam folhas
venta norte ainda
mostra-se chuva bem-vinda...

vacas mugem no telhado
ah... bobagem...
apenas muda estação
aragem fria... cedo ainda...

virá inverno... sei...
sonhei sonho menina
medo da invernia
na viração do dia...

dormem cães ao abrigo
gatos nem ligam
antes percebem mudança
no tempo
na estação
cochilam então...

embalo do dia embala vida
coração
corpo
desejo
inteira percepção
divaga do céu ao chão...

ao fogo feijão
ao forno pão
ares de meu outono
ritmos do coração...


terça-feira, 19 de março de 2013

olhai... vigiai... orai... (marcos 13:33)

                                                   photo by www.datasurfe.com.br


sim... tenho medo
me ensina a ter coragem...

sim... sinto solidão
me ensina a amizade
humana
do gato
do cão
da natureza
da poesia
da canção...

sim... perco
me ensina a voltar
a repetir
a reaprender
a crer...

sim...erro
me ensina humildade
simplicidade...

sim... me entristeço
me ensina luta
rebeldia
libertação...

a dificuldade se agranda 
a tristeza se aprofunda
o sonho se desfaz
a alegria se esvai
a vida desvanece
se não fortificarmos a vigilância
olhai... vigiai.. orai... (marcos 13:33)

teimosia da alegria

           Ao lado da antiga flor, o novo botão desabrocha ao forte sol. Photo by maude poesia


num mundo de dores
dissabores
decepções
epidemia de depressões...

num mundo de coragem
determinação
compromisso
gratidão
construção de teimosia...

não há de balançar a rede
sem quem ali alguém a coloque
e a leve
mesmo a reboque...

não há de desabrochar a flor
em sua colorida decisão
se alguém não lhe matar a sede
lhe afofar as raízes
lhe der afeto
lhe inspirar crença
se alegrar com sua presença...  

num mundo de dores
escolho as cores
de maracujá na colorida
teimosia da alegria...    

 

segunda-feira, 18 de março de 2013

femininas fé e liberdade

                                            flor de maracujá - photo by maude poesia
 

desde antes de alzira
antes de luiza
na brisa
nos fortes ventos
domou intento
rumo de liberdade...

alma de raízes
espírito de lealdade
de fazer sem rodeio
feminina intenção de vida
nunca mantida
em gosto e desgosto tida
com lágrimas
com largas risadas
com determinação
pé no chão
nas estrelas o coração...

sopro ao ouvido
minuano de invernia
leste de sol e verão
enchentes e amenos dias
coragem de alegria...

perdão se assim me repito
grito alto sem freio
rasgo a lei de recato
tenho pé descalço de regras
a elas falso pudor se apega...

companhia de fortes mentores
a eles devo favores
de gratidão
de bênçãos
no cotidiano
sem falso orgulho
sem falácias de merecimento
coração aberto ao vento...

na leitura recém feita
continuidade espera
lá me vou
na lida 
na poesia
na fé de todos os dias...

mar... mar...

                                Praia do Laranjal - Pelotas - photos by www.pelotasconvention.com.br


mar... mar...
profundo mar
corpos separa
mentes enlaça
abraça natureza
conspira
credita afeto
embala corações...

mar de antigos navegantes
mar de dantes
mar de agora
do antigo
ao novo continente
mar presente...

mar de calmaria
mar de velhas tempestades
mar amizade
mar saudade...

mar impossível
mar crível
mar universo
mar reverso...

mar de sentimentos
mar de água doce
mar de ondas salgadas
mar de nau navegada
mar de terras anunciadas
mar de opinião
mar de antigas canções...

mar... mar...
mar profundo
leva coração
num segundo...


domingo, 17 de março de 2013

verbos pintados

                                                  photo by maude poesia


sentir
pensar
perceber
significar
compreender
fazer...

verbos atravessam
trazem algum sentido
ao vivido
ao posto
ao anunciado...

verbos do passado
de raízes
de cicatrizes...

verbos do presente
no cotidiano domados
legados
conquistados...

verbos do futuro
agora pintados...

rosa outono

                                                        photo by maude poesia

rosa na manhã fria
coragem de ser em março
sem mormaço agora
anúncio de amenidade
superação de verão
botão em serenidade
rosa outono de verdade...
 

sexta-feira, 15 de março de 2013

de leste a sul vira o vento

                                                 photo by maude poesia


aos poucos douram-se folhas
ao menor sopro voam
alegram a cachorrada
em correria avoadas...

devagar fogem os dias
de verão cedem ao outono
espaço de assentamento
de leste a sul vira o vento...

insistem em canto bem-te-vis
estridentes ao sol cigarras
céu de azulado a cinzento
em apenas alguns momentos...

assim à observação
impõe-se a reflexão
incompreensível no peito
coração bate sem jeito...

passagem de meus outonos
me encontra absorvida
cativa de mil pensamentos
de leste a sul vira o vento...
 
da natureza o espelho
traz imagens refletidas
sereno o espírito se faz
na busca mansa da paz...


dualidade negada


                                                              photo by maude poesia


depois de intensa atividade
saudade de sossego
necessidade de aquietamento
lá fora não sopra o vento...

revezam-se ação e reflexão
energizam-se na alternância
corpo e mente
físico e espiritual
na dualidade negada
sempre é tudo
ou nada...

não sou ora um
ora outro
sou sempre inteira
no propósito sonhado
na feliz execução...

lados da mesma moeda
faces do mesmo rosto
alma
mente
espírito
corpo
únicos
indissociáveis
hábeis na alegria
na conquista de todos os dias...


rosa rosa ao meio dia

                                               photo by maude poesia

rosa presente
rosa demente 
rosa aturdida
rosa contente
rosa comovida
rosa companheira
rosa faceira
rosa plena
rosa pequena
rosa assanhada
rosa festejada
rosa disfarçada
rosa poesia
rosa rosa ao meio dia...  

9994

                                                    photo by maude poesia

Neste momento , 9994 visualizações de página do blog maude poesia.
Quando me propus a criá-lo, em 04/03/2011, mantive-o sem acesso ao público por algum tempo.
Meu impulso, ao fazer poesia, é expressar o que me vai na alma, é um forte desejo de ir além do que a prosa pode dizer, é falar sem querer, é dizer sem  percepção...
Um dia, porém, decidi torná-lo público. Os acessos, lentamente, vieram.
E chegam, invadem espaço que é dos versos que abraçam o mundo, num segundo, através da magia da poesia...
Poesia tem público, percebo... Sensibilidade ainda tem lugar!
Sem nenhuma pretensão literária, digo sempre, o espírito da simplicidade se manifesta com a espontaneidade que sempre aqui tem guarida...
Se aqui vens, fica à vontade. Se quiseres, deixa teu recado, será apreciado.
Se preferes nada dizer, eu entendo. Poesia requer reflexão. Às vezes, melhor nada acrescentar...
Agradeço aos mentores de minha alma, ao grande pai da vida que me escolhe, todos os dias, para viver com a alegria que me inspira...
Aos meus amigos, aos leitores que me honram com sua atenção, agradeço, comovida!
Grande abraço!

quinta-feira, 14 de março de 2013

fugaz presença

                                                 photo by maude poesia

ao sol a pino desperta
de repente
expõe colorido
exuberante
exótico
atrevido 
até o anoitecer...

fugaz presença
não menos importante
não menos significativa...

altiva postura
inaugura morada
flor de maracujá
à espera da mangangá...
 
 
 

terça-feira, 12 de março de 2013

rosa botão presente

                                                    photo by maude poesia

à porta da casa
à entrada do mundo
em meio à balbúrdia
no olho do furacão
no manso remanso
no fundo da mente
ao lado da amizade
na chuva chegada de leve
no outono amarelecente
rosa botão presente...

domingo, 10 de março de 2013

promessa

                                                   photo by maude poesia


promessa
compromisso
possibilidade
determinação
da natureza na manifestação...

observadora 
pensativa
reflexiva
contente
iminente flor em botão...

curiosidade
alegria na espera
maracujás exibem flores
de exuberante simplicidade...



sexta-feira, 8 de março de 2013

feminina comemoração

                                                    photo by maude poesia

cerração traz manhã
rosa botão
feminina comemoração...

na calma de nebulosa tez
lucidez se mostra
como rosa desabrocha
a cada nova manifestação...

mulher quer verdade
afetividade
educação de responsabilidade...

mulher quer amorosidade
quer mundo de paz...

quinta-feira, 7 de março de 2013

macela suspensa

                                                  photo by maude poesia

marcela na infância
nos campos florida
colhida na semana santa
no chá bebida
contra todos os males da vida...

macela suspensa
aérea presença
da mana recebida
curtida
comentada
celebrada...

cresce a plantinha
rainha se faz
alegra o lugar
florescerá... não sei...

ao sopro do vento balança
alma criança agradece
na prece o perfume no ar...


quarta-feira, 6 de março de 2013

velho ancoradouro

                                                  photo by maude poesia


sou rio manso
por vezes
céu cinzamente pintado 
velho ancoradouro
horizonte de calmaria
anoitecer sem pressa
remanso de doce poesia...

sou fundo sepulto
raso nascente
brisa de outonal perfume
lume domesticado
ferro dobrado
desagrado
arrepio
sopro de frio...

sou natureza imperfeita
ajeita-se o corpo
desdobra-se a alma
na calma do entardecer
no braseiro da madrugada...

tinge-se céu do dia a chegar
escorrem gotas de orvalho
das folhas do meu amar...


terça-feira, 5 de março de 2013

centenária corticeira

                                  centenária corticeira - photo by maude poesi


à beira do rio
à margem do tempo 
forte soprou sul vento...

embalaram folhagens
dobraram-se vontades
envelheceram troncos...

viu gado esfolado
lombo salgado
amanheceres nublados 
escravos curvados
rio de sangue encarnado... 

à beira do rio
à margem do tempo
crianças em movimento...

horizonte pintado
de amizade
de cuidado
traz outro sentido
ao tempo vivido...

cimo dos ramos floresce
habitante primeira
velha corticeira de pé
mostra coragem
presença de fé...


domingo, 3 de março de 2013

infantis marrequinhas

                                      centenária corticeira em flor- photo by maude poesia


como galhos de centenária corticeira
lanço-me ao espaço
balanço ao vento sul
na invernia da vida
às margens do sonho...

contemplo faces ensolaradas
participo de dias nublados
fico assim calada
ou falante
na história do hoje
na atualidade do ontem...

à sombra abrigo
desejos expressos
pensamentos guardados
insones cuidados
sonolentas emoções... 

ao fim
ao começo
tropeços
ensaios
nas infantis marrequinhas
inesquecíveis brincadeiras
nas florescentes corticeiras... 
 

graças


                                   Às margens do São Gonçalo - photo by maude poesia                      



tempo de orar
graças dar
fazer tem poder...

tempo de colheita
estar à espreita
atentamente silenciosa...

carece saber
perceber
sempre...sempre agradecer...

pelo quase sem graça
ao olhar desatento
pelo sul vento
pelo luar à janela
pela disposição na lida
pela esperança não perdida
pela intenção
pelo olhar do cão
pelos amigos irmãos
pelo todo
pelo detalhe
pelo teto abençoado
amorosamente comemorado...

graças pelo caminho
pelo novelo desenovelado
pelo rio
pelo frio
pela suave brisa
pelo diverso rumo de cada estação...

graças pela paisagem
pelo anoitecer em tons acinzentados
pelo reflorescer todo dia anunciado...