segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

me vejo

         foto do antigo Colégio Estadual de Bagé - hoje Colégio Dr. Carlos Kluwe in Colégio Estadual de Bagé, Rs, Brasil


me vejo no vento
na chuva
na gota corrente
transparente
mutante...

me vejo na fala
no poema
no dilema de ser
diferente...

me vejo adolescente
no estadual de bagé
no cine avenida
sozinha
da sessão da tarde rainha...

me vejo professoral
quase glacial
responsavelmente eloquente
afetuosamente coerente...

me vejo no agora
assim senhora
da luta do dia
da face lavada
da alma marcada
no verso aberto
um pouco de mim...

2 comentários:

Anônimo disse...

Pois, Maude...

Saio um pouco de meu "auto-exílio" para aplaudir-te pelo teu belo e visceral poema!
Ah, deixa que eu me veja um pouquinho - que seja - entre algumas nuanças existenciais e reminiscentes dos teus versos...
Deixa que eu seja um cadinho do "yang" no "Yin" de tuas lembranças, de tuas retinas, de tuas memórias...
Tão somente isso me basta, quando o Ocaso vira meu rosto para o Poente... Aprendiz que sou do que ainda não entendo desta Jornada (Enigmática!) de mim mesmo...

Abraço franciscano!
JJ!

Vera Luiza Vaz disse...

Emocionada fico pela infinita sensibilidade a transparecer nas palavras de teu comentário...
Certo são energias guardadas dos lugares abençoados que trilhamos naquela terrinha amada!
Obrigada! Grande abraço!