quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

luzes de outono

                                                              photo by maude poesia


não mais amor cantei
aquém fiquei
postei-me em estro
à beira do mistério
etéreo cálice
lâmina aguçada
forçam o nada
assombram a luz...

desengano
simples assim
não mais querer
ver feio invisível
olhos inaudíveis
críveis vontades
transformação seduz...

expresso desejo
metade ser
não tem o sol
a iluminar a face
desenlace percorre
nervos contraem
funda tristeza
concreta conclusão...

vaidade visível
entendíveis velados traços
abraços de não adormecer...

aurora assoma
ações indeléveis
bocejos breves
vozes abafadas
face amuada
cenhos congestionados
linguagem apressada
desconexão se impõe...

de longe se revelam
se revezam visões
passo no passo
andam
se mostram
tempo na face
olhar no chão...

estilo equivocado
olho calado
materializado gosto de plantão
luzes do outono pela janela
abrem cortina à nova estação...

2 comentários:

Anônimo disse...

Ah, Maude...

Adoro essas Luzes...
São Luzes tão calmas
São Luzes tão brandas
São Luzes Douradas
do Corpo do Outono...
Luzes que não queimam
Luzes-Poesia
Luzes do Grande-Espírito
Que tem muitos nomes
E um deles é... Deus!

Abraço franciscano!
JJ!

Vera Luiza Vaz disse...

Fico sem palavras, amigopoetairmão JJ!!
Obrigada pelo carinho!