quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

luzes de outono

                                                              photo by maude poesia


não mais amor cantei
aquém fiquei
postei-me em estro
à beira do mistério
etéreo cálice
lâmina aguçada
forçam o nada
assombram a luz...

desengano
simples assim
não mais querer
ver feio invisível
olhos inaudíveis
críveis vontades
transformação seduz...

expresso desejo
metade ser
não tem o sol
a iluminar a face
desenlace percorre
nervos contraem
funda tristeza
concreta conclusão...

vaidade visível
entendíveis velados traços
abraços de não adormecer...

aurora assoma
ações indeléveis
bocejos breves
vozes abafadas
face amuada
cenhos congestionados
linguagem apressada
desconexão se impõe...

de longe se revelam
se revezam visões
passo no passo
andam
se mostram
tempo na face
olhar no chão...

estilo equivocado
olho calado
materializado gosto de plantão
luzes do outono pela janela
abrem cortina à nova estação...

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

minúscula azaléia

                                                photo by maude poesi



minúscula azaléia floresceu
ninguém percebeu mínima pétala
rósea... quase perdida... florida...

assim a vida
tantos ganhos não percebidos
pequenos coloridos no dia perdidos...

final de verão

                                                               photo by maude poesia


sinto assim no ar
jeito de outono
manhãs tão doces
tardes silenciosas
viver de serena felicidade
tudo embalado
como infância
no celofane colorido
invade a memória
fresca aragem de lembranças
ternas recordações
final de verão...

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

me vejo

         foto do antigo Colégio Estadual de Bagé - hoje Colégio Dr. Carlos Kluwe in Colégio Estadual de Bagé, Rs, Brasil


me vejo no vento
na chuva
na gota corrente
transparente
mutante...

me vejo na fala
no poema
no dilema de ser
diferente...

me vejo adolescente
no estadual de bagé
no cine avenida
sozinha
da sessão da tarde rainha...

me vejo professoral
quase glacial
responsavelmente eloquente
afetuosamente coerente...

me vejo no agora
assim senhora
da luta do dia
da face lavada
da alma marcada
no verso aberto
um pouco de mim...

domingo, 24 de fevereiro de 2013

life for our grandchildren

                                                             photo by maude poesia



life in danger
world in danger
hearts suffering...

human being did it
has to unmake the mistakes...

people die because excess of food
children die with nothing to eat...

think if we need
so many to live...

certainly many lost notion
lost emotion
or never stopped to think...

hope
the only i have
besides doing so less...

everyday i try
to change habits
not to more compromise nature
to help
the little i can
to go on living
without taking away possibility
of life for our grand children...

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

não somos poucos


                                                       photo by maude poesia


não somos poucos
apenas somos meio calados
na esperança dispostos
pra fazer-nos melhores no mundo...

pensamento transborda
acorda alma num segundo
verso não se cala
embala sonho de aprendiz...

compromisso leve se faz
traz na boca gosto de infância
cheiro de grama molhada de chuva
na busca clara da raiz...

lá fora sol e chuva se revezam
no propósito de a todos contentar
quem sabe...

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

não sou

                                                photo by maude poesia


não sou
a mesma de ontem
hoje amo mais
mansamente mais
como a chuva matinal
fininha
sereninha
a acalmar fúria do mundo
dos corações
das almas famintas de fé...

não sou
a mesma do anterior segundo
amplio meu querer
envolvo-te na magia da hora
num amor sem demora
pra melhor ser
pra viver amante senhora
dona de saber infinitamente pequeno
sereno... ameno...

domingo, 17 de fevereiro de 2013

singela história

                                                     photo by maude poesia

na memória cultivo histórias
de singeleza
de bravura
de gentes
também de plantas
me ensinam
me encantam... 

olho universo quase invisível
aos olhos não críveis
desatentos
soltos ao largo dos ventos...


há detalhes preciosos
de seres da natureza
donos de ações mil
apontadas em mais um abril...

eram três plantinhas
colocadas na calçada
intenção de enfeitá-ĺa
passantes na deserta rua
duas surripiaram
uma arrancaram...

recolhê-la necessário
uma apenas sobrara
replantar
proteger
enfraquecera...

tempo... ah... passou...
numa outra primavera
uma folhinha brotou
depois outra... porém...
as florezinhas esperadas
mostraram-se demoradas...

paciência... mais algum cuidado...
também esquecimento
sol
chuva
vento...

interna determinação
mostrou ao sol do verão
folhas
botões
flores...

evidencia natureza
nobreza
a revelar amor em flor...

mistérios da juventude ao envelhecimento


                                                                                                    photos by maude poesia
                                               



pequenas grandes lições da natureza 
na singeleza das manifestações
na generosidade de corajosas decisões...

desde alto inverno
supera dissabores do tempo
frias madrugadas
geadas
fortes ventos primaveris
quentes sóis de verão
rigores a cada estação...

hoje menos floresce
menos frutifica
manifesta-se... no entanto... com delicadeza...
com determinação
com firmeza
reflexão... implicado entendimento...
mistérios da juventude ao envelhecimento...                          

inusitadas

                                                     photo by maude poesia


primeiros raios da manhã encontram-nas
acariciam-nas com beijos de iluminação
do alto observam a paisagem
aragem da manhã as faz alegremente
inusitadas
sossegadas
ao leve sopro de outonal previsão...

horário normalizado

                          O relógio da torre do Mercado Público de Pelotas - photo by Daniel Giannechini


horário normalizado
avisa pra  querida
a pedir comida
na madrugada...

procuro me adaptar
a cada novo verão
afinal... penso...
a diferença
apenas uma hora...

quem diz essa hora não pesa
ah... sim...
interfere nas refeições
na hora de ir pra cama
no momento de acordar...

brincadeira
com meu interno relógio
entender o tempo já é complicado
imagina com horário adiantado...

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

berenice no último andar

                                                           photo by maude poesia


no último andar é mais bonito
do último andar se vê o mar
é lá que eu quero morar... (cecília meireles)

também berenice quer ver o mar
do último andar
da geladeira
quer ver os humanos apressados
quem sabe
outros felinos desencorajados da aventura
tontura não tem
sabe voar ao infinito
não num grito
num pulo faceiro
não por certo o primeiro
no entanto esse lugar
creio
após a descoberta
visitará com frequência
quando novamente a curiosidade se instalar
irá... certo...
para o último andar
quem sabe... também verá o mar...

terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

claro desabafo


                                 escultura em porcelana alemã- in mercadolivre.com.br               


mais claro que céu azul
do rio grande do sul
existem aqueles pra quem vale
midiática informação
modismo de plantão...

seguem à frente cabresteados
como cavalos mansos de arado
ah... pobrezinhos
dos serenos cavalinhos...

dos seres que assim agem
nenhuma pena sequer
escolhem obtusas trilhas
ou são por elas escolhidos
em atitudes acomodadas
então... não digam nada...

alívio na medicina
nas pílulas cotidianas
nos amargos desenganos
quando não há mais saída...

vida não é confortável descanso
não é balanço infantil
hábeis ardis premeditados
espreitam por todos os lados...

vida é atenta jornada
reflexão... cuidado...
escolhas conscientes
caminhos cultivados
com trabalho...

ah... desculpe...
se esse não é seu rumo
se nem entendes o que digo...

segue adiante
aqui não fiques
não percas tempo na leitura
mas não te queixes
segura tuas escolhas
não culpes aos outros por teus males
certamente tua política
precede tua crítica...

domingo, 10 de fevereiro de 2013

noturna cantoria

                                  personagens do cartunista brasileiro Maurício de Souza
                              


bastante animados
cantam vizinhos ao lado
na noite em pleno quintal
antigas músicas de carnaval...

um pouco de nostalgia
muito de alegria
a recordar marchinhas
em noturna cantoria...

revejo carnavais de infância
papai e mamãe nos levavam
a ver desfiles coloridos
carros alegóricos enfeitados...

hoje prefiro meu interno carnaval
ler... escrever... descansar...
ah...jardinar um pouco
sabores de alegria
um outro jeito de folia...





por entre as grades

                                                      photo by maude poesia


pensamentos andam
atravessam pontes
contornam montes
desconhecidos lugares
desbravam
gravam na memória
de lentes ocupadas
novos olhares
gentes bondosas
prosas amistosas
saborosas vozes
faces sorridentes
claros horizontes...

desafios internos
invernos de alma
calma na conquista
obstáculo à vista
necessário contorná-lo
transformá-lo
transpô-lo
ou simplesmente ignorá-lo
na rotina do cotidiano
engano foge da pista...

por entre as grades
alma se evade
desaparece nas estrelas do dia
no céu gris de tarde abafada
na espera da chuva
na solidão da rua
na melodia da memória
no coração emprestado 
no suor salgado
no rumo tomado
ainda na esperança tardia...

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

mãos decididas

                                       "Maísa fotografa a vovó"- photo by Maísa



em volta a vida se apressa
ou a pressa é minha
quero muito fazer
lixar
pintar
colorir
limpar
organizar
doar
melhor muito não ter
pesa no coração
pesa no corpo
traz desgosto...

amo atividades de pura escolha
tintas
pincéis
parafernália
verdadeira tralha
cheiros diversos
pequenas modificações
multiplicadas pela alegria
da agitação interna...

texturas
cores
portas
muros
paredes
portões
decisões de singeleza
no sobe desce de escada
na leveza emprestada à alma...

organizada nos horários possíveis
impedindo a completa barafunda
no contentamento simples ações
ares de revoluções...

sorrio ao perceber
a inutilidade visível
ao insensato isento de emoção
ah... dane-se o mundo
melhor o sete pintar
alma se amplia nos pequenos sonhos
se ilumina na ação disposta
se harmoniza ao sair detrás da porta...

então... dou graças...
pelo discernimento
pela energia
pela vida simples... sadia...
pela companhia amiga
pelas mãos decididas
a fazer ao longo da vida...


domingo, 3 de fevereiro de 2013

além de perfume e de cor

                                                           photo by maude poesia

nasceu no mais alto ramo
da roseira no jardim
assim olha o céu
aprecia a passarada
desde cedo em sua jornada...

olha gentes a passar
borboletas a voar
uns alegres
outros amuados
alguns dispostos
outros apenas apressados...

prazer lhe dá a paisagem
bobagem não a compreender
vê-la acima em destaque
incentiva o perceber...

escolheu ali florescer
ou cumpre simples missão
exemplo de pura coragem
mostra-se nessa opção...

na manhã de tespestade
enfrentou a ventania
dobrou-se na forte chuva
valentemente continuou
e o mundo novamente sossegou...

algumas pétalas hoje mostram
marcas de sua bravura
sem queixumes... sem lamúrias...

beleza
delicadeza
não foram desculpas ontem
hoje juntam-se a outras marcas
pra enobrecer da flor
além de perfume e de cor...


domingo cedo... nublado...

                                                       photo by maude poesia



no silêncio da manhã
calada também a alma
nublado o céu descansa
dos iluminados dias...

energia suavizada
na beleza acinzentada
da natureza vadia...

sinfonia de sossego
sem medo se mostra a lua
brinca de esconde-esconde
ainda com a cara na rua...

por entre nuvens graceja
andeja com muita preguiça
boceja lacrimejante
com olhos de madrugada...

espaço de todas as artes
celeste tornado cinza
celebra acomodado
domingo cedo... nublado...

sábado, 2 de fevereiro de 2013

senhora dos navegantes dos mares da vida

                                         iemanjá -  in amarilischaves.blospot.com.br


das águas mansas
ou bravias
irradias proteção
ao coração aberto...

espírito de maternal manto
envolve
abençoa
ilumina
àqueles por quem te peço...

por quem te agradeço
pela infinita luz
conduze meus passos
no crescimento...

yemanjá... mãe amorosa...
senhora dos navegantes dos mares da vida
canto hoje em teu dia
espalho tuas dádivas de divina companhia...
salve...