segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

delírios da viração


                                                            photo by maude poesia

seca tarde
arde a pele
ao contato do sol
estendem-se gatos
espicham-se cães
escondem-se pássaros
calam-se agora
na demora do astro
rei da estação...

murcham pétalas da manhã
tentativa de segregar umidade
não é mera sensibilidade
manifesta urgência de proteção...

poesia se curva
não é brisa do vento
bafo de calor
a dispor da rima
a instigar a inspiração
noutra direção...

poesia no ritmo do dia
passo na direção do horizonte
um pouco nublado
por vezes
iluminado fortemente noutras
aos loucos delírios da viração...

Nenhum comentário: