segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

raízes se mostram

photos by maude poesia


raízes se mostram
lugares de infância
reencontrados
revisitados
reavivados
trazem sopro de esperança...

corre desde a memória
outra vez a menina
ao calor do sol
revê espírito
repasseia
incendeia alma
na mais pura emoção...

este chão me fez
como hoje sou
tudo o mais foi lapidação
pedra fundamental já ali estava
veio da furna
forjou-se na brasa
no aconchego
no convívio
no caminho ao lado do coração...

hoje reflito
grito no peito arde
quer ar
quer expressão
pra agradecer
neste final bendito
derradeiro dia do ano
pra celebrar
pra orar
pra ainda mais crer...

oro pelo passado abençoado
oro pelo agora todo dia conquistado
oro por ti
por mim
por nós
tenhamos a compreensão
do verdadeiro sentido da vida
sejamos gratos
silentes
iniciemos um novo ano em oração...

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

do interno canto ouço o silêncio no sempre natal

                                                       photo by maude poesia
                                                     

quero natal silencioso
quero natal internamente
no suave milagre do nascer
agradecer
pelas dádivas da vida
pelo respeito a mim mesma
pelo cotidiano de alegres surpresas...

fecharei os ouvidos aos ruídos externos
calarei vontade de xingar
pela ignorãncia ao celebrar...

paciência...
afagarei os cães
eles não entendem os estampidos
não compreendem triste maneira
de contente parecer...
paciência...
do interno canto ouço o silêncio
no sempre natal...

leveza e flor

                                                        photo by maude poesia


corre o tempo
pensas devagar
a princípio
percebes então
assim foi
desde o início...

mudas
muda tudo
muda ficas
percebes a dor
mudar...


muda o tempo
na chuvarada da madrugada
paisagem queimada
expressa hoje
leveza e flor...

sábado, 22 de dezembro de 2012

um dia um menino nasceu

                                         Dani e Nícolas - photo by maude poesia



um dia um menino nasceu
a cada ano outros serezinhos nascem
também a esperança
o carinho
o afeto
a amizade
o cuidado
a dedicação
no exemplo de maria
outras marias... 
feliz natal...

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

outros pequeninos

                                  araras vermelhas em bonitopantanal.wordpress.com


manhã chuvosa
solstício de verão
gosto de chuva
lava a cidade
banha a alma
em qualquer estação...

cantam pingos
calam-se aves
adormecem cães
cessam atividades
convite à silente admiração...

chora o céu lágrimas
lamento antecipado
chão molhado
pela incompreensão...

inconsequente gritaria
perpassará o dia
atingirá a noite
oh... prepotente celebração...

um dia nasceu um menino
sua alminha deseja silêncio
não acordes outros pequeninos
eles precisam de calma e de proteção...

quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

ainda na primavera


                                                    photo by maude poesia



aquietam-se internamente
tarde sonolenta
pingos cantores
molhada janela
porta da alma...

acalma vento
sopra de leve
chove chuva
ainda na primavera
bem-te-vi canta
caem araçás na espera...

frutificam sementes
sã contrariedade
invade sentidos
melhor entendido
esboço do entendimento
assim espalhado no vento...

poças jazem desde a madrugada
minhocas tortas
bailarinas quase mortas
na cansativa dança da chuva
interpretação solene
descuidos do término da estação...

ainda na primavera
chuva lava cidade
na espera de um novo verão...

da palavra ainda com sentido


                                                               photo by maude poesia



uma flor há de ornar a poesia
singela
mas bela
frágil
mas forte
no rumo do tempo
sem voz de lamento...

final do ano
continuidade 
surpresa
milagre do dia nascente
perplexidade
vontade de compreender
bagagem da vida...

uma flor há de ornar a poesia
da alma
do espírito
do ser
do tudo
do nada
da busca do vocábulo significativo
da palavra ainda com sentido...


quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

espaço de ter pétalas

                                                          photo by maude poesia


contrariedade invade
sem permissão deseja ficar
não... não... aqui não é teu lugar...

me ensinas
quero aprender
a melhor entender a mim
ao outro
de meu espaço não abrir mão...
                                              
se muito saio de mim
em benefício do outro
torna-se isso compromisso
omissa de mim mesma
negligente com minha vontade
de ver
de saber
de ser...

não cede a flor
espaço de ter pétalas
de ter cor
de ser completa...

enquanto o dia anda
movo-me ao encontro de mim
sempre de chegada
sempre de partida
sem constrangimento
sem lamento
na luta
na vida
todo dia melhor entendida
todo dia melhor conquistada...

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

gosto pela vida

                                                  photos by maude poesia

da cor da paz
da suavidade
assim chegam
perto do natal...

alegro-me ao vê-los manifestos
hibiscos brancos descobertos
no início da manhã...

tardaram chegada
pra quem sabe
na madrugada
já quase natalina
ornarem o dia
acelerarem reflexões
apascentarem paixões
esconderijos de mágoas...

valente plantinha
desde cedo lutou
pela sobrevivência
não conquistou rápido crescimento
dobrou-se frágil
ao sopro de fortes ventos...

em momentos nenhuma folha manteve
pensei não sobrevivesse
interesse de vida venceu
hoje abre-se em flores
alvas de força e sentido
sussurram ao vento gosto pela vida
natalina mensagem a ser compreendida...

 

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

canto de amor e de paz


                                                        photo by maude poesia


do fundo da alma 
vontade assim
de acarinhar
de aconchegar
amigos do coração
parte todos de mim...

do fundo da vida
vivida
aprendida
sofrida por vezes
noutras apenas reflexiva
ânsia de falar
ao ouvido de ouvir
aos olhos de ver
ao peito de entender...

do fundo do espírito
amante de si
amante do outro
amoroso dizer
proclamar...

ama-te agora
sem demora te perdoa
entoa hino de amor
de calor a ti
ao teu diferente próximo
na diversidade
complexidade de ser
profundamente cantar
dentro de si
contagiar o mundo
construir jeito infinito
de tudo amar
glorificar
agradecer
ser feliz aprendiz...

não... não cantarei a dor
centro atenção na alegria
de estar aqui
de ter voz pra falar
ânimo pra me revelar
no amor a mover a vida
de braços na amabilidade
crescer na paz
construir na simplicidade
canto de amor e de paz ...

mínimas rosas amarelas

                                                               photo by maude poesia


mínimas rosas amarelas
revelam-se pertinentes
mostram-se participantes
colaboradoras da unidde
da paisagem
da simplicidade 
da beleza do jardim...

na pequenez aparente
presentes da natureza
na percepção
na singela expressão
motivo de paz
de alegria...

matinal sinfonia
surge diminuta assim
pequeninas pétalas
abertas à vida
ao regozijo mimoso
de anjos e querubins...

sábado, 15 de dezembro de 2012

Deva Premal & Miten - Lokah Samasta

Peace in our hearts!!


de ogum vermelhas rosas

                                                           photo by maude poesia

de ogum vermelhas rosas
homenagem despretensiosa
à energia iluminada
no cotidiano da jornada...

salve... cavaleiro...
salve... guerreiro...
espada de força
manto de proteção
ampla luz na escuridão...  

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

canto pra entoação


                                                                 photo by maude poesia


canto de vida
canto de alegria
canto de vontade de cantar
canto de sempre cantar
canto de não ligar
pra cara assustada
de quem não diz nada
com a palavra
mas por dentro
só lamento...

olhar condena
não tem som
tem tristeza
incerteza
condenação
ah... pobre coração...

olha dia chegado
anunciado em cores
amarela
rosa
depois encarnada
não vês...

solta tua alma presa
pra ti natureza se embeleza
se enfeita
espreitas de lado
desconfiado
hum... deixa disso
ouve a brisa ao pé do ouvido...

canta teu canto
larga quebranto
de lado a casmurrice
não mais se vitimize
lá fora o mundo voa
te perdoa
faz leve teu coração
há um canto pra entoação...

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

saudáveis reflexões

                                                   photo by maude poesia

da natureza a exuberância
a suave elegância
a atenta generosidade
a intrincada simplicidade
a simplificada complexidade
a exemplar disposição
a despretensiosa presença
não me canso de cantar...

homenagear
agradecer
aprender
verbos do meu cotidiano
conjugações de todo o ano...

impossível ficar insensível
às coloridas manifestações
sem saudáveis reflexões...

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

12/12/12

                                                  photos by maude poesia


12/12/12
na coincidência do calendário
números dançam balé
alinhadinhos
igualmente vestidos
expressam identidade
idêntica...
hum... não sei...

lá dentro suas alminhas
sonham variados sonhos
em diferentes quantidades
cores
texturas
tamanhos
coincidentes apenas
visíveis plasticidades...

invisíveis recantos
no jardim
na casa
no coração
diferem
interferem na paisagem
com simplicidade
com ínfima beleza
pura manifesta expressão...

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

porque me importo


                             dois pratos veganos - salada de massa com tomates, azeitonas e castanhas,
                                                                           temperada com salsinha e azeite
                                                         salada de alface com manga, temperada com suco de laranja
                                               photo by maude poesia



deixar-se seduzir
por midiáticos valores
por sabores induzidos
na mente distraída
levam à perda da saúde
trazem tristeza à vida...

disposição corajosa
saborosos resultados
no corpo
na mente
no humor
na amizade com o outro
na relação consigo mesmo...

utilidade do empanturramento
tormento ao corpo
desgosto
tristeza por ver-se na correnteza
da insatisfação
da má alimentação
da falta de alegria...

comer bem não significa
não ter prazer à mesa
que não seja o falsamente indicado
pelo marketing de plantão...

amar-se
alimentar-se com cuidado
trazem satisfação
trazem conforto corpóreo
também espiritual...

mais próximos do grande espírito ficamos
se bem nos alimentamos...

se consideras isso falácea
não te julgo
apenas lamento...

não invento
há anos verifico
saúde corporal
mente saudável
passam por ingestão de alimentos
que não nos agridam
que coincidam com nossos propósitos
de crescermos
de estarmos mais próximos do grande pai de todos
que tem o nome que lhe quisermos dar
ou não tem nome nenhum
se assim decidirmos
mas que está perto
se chance lhe dermos...

porque me importo com a alegria
porque percebo em mim o resultado da dedicação
abro minha alma
mostro a razão de alegres sentimentos
de esperança quando quase não há nada em que acreditar
afirmo que comer com critérios definidos
é planejar
é decidir
por qual caminho se deseja ir...

há muito sou vegetariana
muitas críticas recebo
também percebo que as recebo rindo
há tempo para as coisas a gente entender
também há tempo para deixar de sofrer...

amo a vida
escolho com parcimônia o que como
às vezes tenho meus deslizes
não sou perfeita
não desejo sê-lo
pratico yôga
o que me põe na vida também outro sentido
estou no caminho vegano
não por engano
por desejo de leve sempre estar
aqui
agora
amanhã
até quando meu caminho determinar
com alegria
com paciência
com sentimentos tirados da reflexão atenta
que nada lamenta
tudo inventa
com ampla liberdade
com alegria no viver...



do fundo de mim


                                                        photo by maude poesia

penso
alegria incomoda
prefeririam
quem sabe
acabrunhada me verem
certeza terem
de meu entristecer...

na reflexão me encontro
com esse pensamento doido
doído um pouco também...

porque dou asas à alegria
não sou boa companhia
talvez...

rio descontraída
sem álcool na cuca
não o ingiro
dele não preciso
pra alegria sentir
suspiro... infelizmente pra muitos
meu erro ser vegana... quem sabe...

por que sou assim... não sei...
conjunto de muitas verdades
inverdades algumas
contrariedades
dificuldades... talvez...
outra vez... quem sabe...

fato é
seja o outro como quiser
se me encontro aborrecida
dou  a mim mesma um tempo
reflito
olho em volta
tantos motivos de contentamento
injusto com o universo
não atentar às pequenas grandes coisas
a encherem de felicidade nosso interno lar...

não me vitimizo
valorizo insignificantes vitórias
no entender alheio
não me meço nos valores ditos sociais
ais não os carrego
amo dançar a vida
num passo aprendido
saído do fundo de mim...

domingo, 9 de dezembro de 2012

estrela luz


                            "Estrela do Mar" - painting by Giacomelli - 2006 - photo by maude poesia



pela porta da casa brisa entra
suaviza
refresca
amplia da mente o olhar...

pela  porta da alma bênção entra
suaviza
refresca
instiga vontade a continuar...

olhos da cor do mar
estrela luz
energia pura
segura inspiração no caminhar...

avesso


                                                                photo by maude poesia

quero virar dia pelo avesso
não quero apenas esboço
quero sempre recomeço
de esperança
de alegria
de vontade...

não hei de calar
interna voz me diz
bom o tropeço
conduz ao início
depois do fim...

ampla se expande claridade
noite tem lua
luar banha fronte cansada
aponta energia à disposição
pra quem quer ter asas
pra quem sempre quer sair do chão...

fazer único de cada dia

                                                            photo by maude poesia


não poeto para agradar
meu verso intenção não tem
de desagradar alguém...

expresso sentimento
do fundo de mim
do meu jeito
escolhido assim
por gosto
por própria eleição...

expresso vida vivida
dia pra louvar
grata oportunidade de amar
a lida
o cotidiano
o amigo distante
o próximo mesmo irrelevante
o familiar
o nem tão familiar
o chegar
o sair
o tentar ser
sempre buscado...

poeto pra expressar
a irrequieta saudável vontade
de fazer mais
sem ais
sem tristezas presas em volta
sem sabor a não ser o da vitória
sem glórias pretensiosas
com orgulho simples
da conquista
das pequenas grandes coisas
no fazer único de cada dia...

sábado, 8 de dezembro de 2012

alegria e paz


                                                    photo by maude poesia


floresce
despreocupadamente
presente de intenção exposta
à mostra viço
determinação...

no anil o branco
como sentimento
neste momento
cessam guerras
injustiças calam
falam somente
alegria e paz...

salve... mamãe oxum...

                                                               photo by maude poesia


versos não bastam
no entanto falam
do amor por ti
senhora de manto azulado
mãe abençoada
mãe de todas as mães
mãe de todos nós...

amarela rosa
formosa revela
a intenção
homenagem feita
na florescência
com tanta alegria
desde os primeiros raios
do dia em qualquer estação...

essência
energia
cor
te festejam
te agradecem
por dádivas de tanto amor...
salve... mamãe oxum...
salve... conceição senhora...
 

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

calado canto


                                                      photo by maude poesia 

 
quieto coração escuta
canto não ecoa
embora não doa...

calada tarde vai
levemente brisa
suaviza hora
agora de tardios sentires
entenderes nem tanto
mas não há pranto
tempo se esvai...

divaga expressão
em volta da vontade
se evade canto
de amor
como escondida flor...

aprisionado fica
crepitam chamas
entendimento queima
nas labaredas
desfazem-se
consomem-se
inspiradas rimas
no alento de extermínio
enquanto a tarde cai...

pés quebrados





meu verso não tem um
tem todos os pés quebrados
também os braços
as costas doídas
ciático inflamado
gripe de inverno
e de verão
tem os pés gelados
tem o lombo escaldado
mas traz o colorido
das estações da alma...

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

efêmeros amor e flor

                                                       photo by maude poesia


não cantarei o efẽmero
por si canta a efemeridade
das flores
dos amores...

nasce a flor
pra morrer cedo
nasce o amor
pra não ser longevo...

e cá estou a cantar
a finitude da flor
a finitude do amor...

duradoura a mentira
dizem tem perna curta
quem acredita...

existe a longo prazo
conforme lhe coloque corpo
dissimulada teatralidade
como se fora verdade...

mentira do amor
o faz desacreditado morrer...


certamente dirão
coisa sem graça
o amor desacreditar..

coração se recolhe então
continua querendo voz
não lhe daremos vez
desculpas de timidez
ser-lhe-ão benéficas
nestes bicudos tempos
como já disse o poeta
melhor calado ficar
muito há a caminhar...


donos da bola

                                                          photo by maude poesia

felino comportamento
fica-se a observar
convívio atento
instiga pensamento
mil voos no ar...

pra safar-se da sede
prefere o vaso florido
frescura
quiçá energia
nem se percebe a magia...

obstinados nas escolhas
olhares de desaprovação
caso não se aprove decisão... 

miados
carícias
denguices de todo estilo
felinos 
amplo domínio...

donos da hora de despertar
donos na escolha do lugar
pra se esbanjarem no conforto
felizes 
esparramados...


no recreio a qualquer hora
principalmente quando a casa dorme
felinos realmente
verdadeiros donos da bola...      
 

mutante aprendiz


                                                  photo by maude poesia


eterna mutante
palavras chegam da memória
trazem a dona de novo
fazem-na viva na história...

mudo sempre
sei
muda fico por vezes
constatei...

mudo cotidianamente
face às reflexões
também sei...

muda diante de fatos
atitudes
constatações
ainda pasmam ações...

novas reflexões improviso
riso faz parte do jogo
rir traz imediato remédio
a tantas conclusões...

revoluções... ah... amo-as...
desemboloram matéria
arejam mente
a meia folha aberta...

descobertas
bobos segredos
tolos preconceitos
caem ao sol chegado
ao sopro do vento gelado...

mudo
muda
mudança
mutante aprendiz do dia
sussurro de pura alegria...

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

gato espichado

                                                                photo by maude poesia


dias acalorados
nublados
ensolarados
na alternância
não se alteram o calor
a cor do hibisco
o perfume do derradeiro jasmim...

em mim alternam-se sentimentos
com o vento
o sei
preferiria não fazer leitura...

gato espichado
adormecido
abandona-se à inércia
convite ao não movimento...

invento do pensamento
não pensar possível
mas não se quer
instigam-se os sentidos
pra significar o lido...

o que se lê 
se vê
se percebe
nos faz gato amuado
espichado
desinteressado...

em volta o jingle bells
anuncia
convida a comemorar
na compra desnecessária
no veneno alimento
na bebida enebriante
estonteantes caminhos do não sentir de verdade
trajetórias de não ser dono da vontade
enquanto o gato se espicha
se espriguiça
pensamento voa
pra além do jardim...
  

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

delírios da viração


                                                            photo by maude poesia

seca tarde
arde a pele
ao contato do sol
estendem-se gatos
espicham-se cães
escondem-se pássaros
calam-se agora
na demora do astro
rei da estação...

murcham pétalas da manhã
tentativa de segregar umidade
não é mera sensibilidade
manifesta urgência de proteção...

poesia se curva
não é brisa do vento
bafo de calor
a dispor da rima
a instigar a inspiração
noutra direção...

poesia no ritmo do dia
passo na direção do horizonte
um pouco nublado
por vezes
iluminado fortemente noutras
aos loucos delírios da viração...

domingo, 2 de dezembro de 2012

tudo passa

                     Nascer da lua cheia na lagoa dos Patos - praia do Laranjal - Pelotas - RS em 28/11/2012
                                        photo by Alexandre Neutzling em Pelotas, capital cultural



sim... tudo passa...
ou quase 
o que fica
transita...

passam as estações
as canções do roberto
as músicas dos beatles
passa a gripe
passa a data esperada
passam cenas do filme
abraços passam
transformados
ficam assim guardados
primeiros rabiscos das crianças
garatujas da infãncia...

passam aves ao entardecer
buscam abrigo pra pouso
ouso saber da lua cheia
a enluarar a noite
banhar a cama
pintar lençois sem bordados
enfeitados de rendas até o amanhecer...

tudo passa
com graça
ou sem nenhuma
se arruma a casa
se lava a cara
se banha a mente
se guardam presentes de vida
na memória
ela também passa...

sábado, 1 de dezembro de 2012

vida em constante explosão

                                                          photo by maude poesia


 houve um tempo
desatento de ter
costumeiro perder...

houve um tempo
atento de entender
aprende-se a ter...

ter o necessário
ter o sonhado
contentamento de viver...

ter os olhos no mundo
ter um segundo
ter tempo pra ser...

ser requer ter
ter a alma completa
ter a vida irrequieta
ter deslumbramento no vento
do dia
do riso
da alegria...

houve um tempo
há um tempo
de ver com olhos de enxergar minúcias
detalhes escandalosamente belos
simplicidade de universo em expressão
vida em constante explosão...