segunda-feira, 19 de novembro de 2012

numa qualquer tarde de vento

                                                                                                                     photo by maude poesia
                                               


sentido no vento sopra
voam palavras
surgem figuras
à luz do sol...

verso se faz outro
no segundo seguinte
ouvinte não será
do sentido a anunciar...

pousam aves no galho
uma após outra
fazem-se artistas
equilibristas...

como versos de cordel
se embalam
se falam
depois voam ao céu...

sol arde na tarde
poema nasce no sopro
numa qualquer tarde de vento
versos a escabelar...

sentimento transborda
se abre em alas
se busca em falas
se traduz em vocábulos
do íntimo sonho até a luz solar...



Nenhum comentário: