sexta-feira, 30 de novembro de 2012

aonde vou

                                                       photo by maude poesia


aonde vou
no andar faço caminho
estabeleço lugar pra ser
pra crescer
pra ficar parada
feito estátua
se quiser
se disser me vou
vou
se disser nada
nado...

aonde vou
requisito primeiro
respirar por inteiro
chacoalhar os braços
alcançar as nuvens
numa simples piscadela...

aonde vou
sentinela na vida
coisa estranha
arrebanhar sons
colecionar imagens na memória
contar histórias
ampliar sentido
no vazio ao redor de caras
de falas sem raízes
juízes presos
por laços de seda
enfeitados por fora
por dentro cinza vulcão...

aonde vou
agora quero ficar em mim
pintar o dia com pincel de chuva
nua de preconceitos
perfumar a casa com flor de jasmim...

dia espelho


                                                           photobymaude poesia


dia espelho do sentir
alma busca
natureza traduz
induz sentimento
a bordo o vento...

dia espelho do ver
olhar busca
natureza não ofusca
apresenta-se assim
nublada
calada voz da boca
amplia-se grito interior
sabor de caminho
gosto de sonho...

dia espelho da alma
na comunhão com espaço
externo abraço
interna revolução...


quarta-feira, 28 de novembro de 2012

lua cheia de novembro

                                               lua cheia enevoada -photo by maude poesia


lua cheia de novembro
roda a saia
canta espírito feliz
da alegria sempre aprendiz...

sussurros ao ouvido
na inspiração de vida
há tesouros reservados
há segredos revelados
cigana chega com a lua
há dança
há cantoria na rua da alma
nas internas cidades 
na expressão de contentamento
ampla felicidade a quatro ventos...

terça-feira, 27 de novembro de 2012

around me

                                                                      photo by maude poesia


around me smile of a child
sound of a hummingbird
color of a flower
blowing of the wind
whispering of love secret
beating of two hearts...

Flor-Botão


                                                               photo by maude poesi


Oi, Maude...

Que "pedacinho" mais lindo e meigo de gente essa guriazinha...
Para ela - e para ti - escrevi esta trovinha bem simplesinha que intitulei "Flor-Botão" e diz assim:

Pequenina e delicada
Flor-Botão em teu jardim...
De Inocência perfumada
Menininha... (Ou Querubim?)

Porto Alegre, 24 de novembro/2012.
07h48min

Com franciscano abraço a ambas!
JJ!


Querido amigopoeta JJ,
Difícil saber se menininha ou querubim... Creio... os dois...
Obrigada pelo carinho da homenagem!
Afetuoso abraço!

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

era uma vez...


                                                         photos by maude poesia


era uma vez...
um pato
ele encontrou as letras...

voa imaginação infantil
coração atento ouvinte...

gestos
articulações
variadas entoações
na continuidade da história...

ampla relação com o mundo
gatos
cães
pássaros
flores
lua no céu a chegar
fazem-lhe eco no ar...


tenho um castelo
sou a princesa 
a princesa apaixonou por o príncipe
foram felizes pra sempre...

bisa...
tu é aluna 
vou cantar a música do picapau
picapau... pau... pau...
agora tu...

de regresso no tempo
bisa canta
dança
de novo criança
às gargalhadas bisa... neta...
vó chora de rir... emocionada...

pra ser feliz muito não se justifica
infantil imaginação
em liberdade a ação
corda completa à alegria
coração em múltipla sintonia...


prazeroso sentir

                                                photos by maude poesia



perdoem-me
não posso cantar a tristeza
alegria me invade
explodem mil mágicos sentires
tão somente os olhos abro
afagam-me infinitos raios
no amanhecer de pura energia...

dorme ainda a cidade
frescor do início do dia
pelos poros entra
adentram alma emoções renovadas
coisas de madrugada
de sopro em inspiração...

novos jasmins perfumam com suavidade
determinação em florescer
me faz crer
orar
agradecer...

simples assim o entender
ser desse jeito
nem eu sei por quê...

prazeroso sentir
na simplicidade
na construção da hora
agora a ouvir billie
blues compassado
suave som
suave melodia...

terça-feira, 20 de novembro de 2012

rosa por ogum encarnada

                                                    rosa de ogum - photo by maude poesia


saborear instante
no dizer antigo
quebranto quebrar
se se desfalece em tristeza
se não se vê do viver a beleza...

conhecer-se por dentro
por fora se enxergar
pra estabelecer prioridades
pra não se afogar em ondas
em falas desprovidas de sentido
a caminho de tempo perdido...

aberto coração
abre-se alma
cuidadosamente
silenciosamente...
 
olhar atento
a encantar-se com o universo
de sentido nunca percebido
simples quadro de pintor famoso
singelo poema de poeta renomado
rosa por ogum encarnada
infinito céu pintado de estrelas
vê-las traz contentamento
apraz-se espírito em gozo pleno...

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

numa qualquer tarde de vento

                                                                                                                     photo by maude poesia
                                               


sentido no vento sopra
voam palavras
surgem figuras
à luz do sol...

verso se faz outro
no segundo seguinte
ouvinte não será
do sentido a anunciar...

pousam aves no galho
uma após outra
fazem-se artistas
equilibristas...

como versos de cordel
se embalam
se falam
depois voam ao céu...

sol arde na tarde
poema nasce no sopro
numa qualquer tarde de vento
versos a escabelar...

sentimento transborda
se abre em alas
se busca em falas
se traduz em vocábulos
do íntimo sonho até a luz solar...



domingo, 18 de novembro de 2012

sabiá em sinfonia

                                                              video by maude poesia




 
na madrugada melodia
do sabiá em sinfonia
fazem-lhe coro
um latido de cachorro
um tic-tac no ar
no escoar do tempo
a eternizar doce momento...

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

continua a florescer

                                                         photos by maude poesia

depois do primeiro
outros
vagarosamente
se mostram
perfumam a manhã
com suavidade florescem
crescem nossa emoção
nossa gratidão
diante da serena magia...

parece convite
não... não é desafio...
flores em sua alvura
à alma falam
vem
continua a crer
continua a florescer...

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

campo de papoulas

                                                             Papoulas em Argenteuil - Claude Monet 



houve um tempo
brincava em campo de papoulas
brancas
alaranjadas
encarnadas
amarelas tão belas...

chegava da escola
lá ia correr
jogar bola...

não mais lá voltei
não mais toda aquela diversão
na certa estação hoje florescem
multicoloridas no meu coração...


poesia na poesia

                                                            photos by maude poesia


poesia não explica
instiga
gosto pelo invisível ao distraído olhar...

poesia não ensina
fascina
sensibilidade ao perceber o ainda sem lugar...

poesia constroi muro
destroi pontes
abraça horizontes
moi por dentro
por fora lamento
tristeza
beleza saber tudo etéreo
da alma mistério...

poesia implica interno mirar
casamento do tempo com a lua
do sol com a madrugada
da invernia com a mais quente estação...

na poesia tem perdão
tem desgosto
tem lado oposto de frente
tem gente de sobra
tem cobra
tem tartaruga
tem pingente na orelha
tem cordel de cantador
tem cor forte
tem desmaiada
tem meada de renda
tem fenda
tem pedaço
tem inteiro
tem primeiro
tem só
tem acompanhado de sentimentos múltiplos
tem acústicos e valvulados
tem telhados
tem caracol
tem galinha de angola
tem cola na escola
tem doce
tem azedo
tem levedo
tem guarda-chuva
tem roupa seca no varal
tem quintal
tem balanço
tem trança
tem criança
tem água quente pro mate
tem pra quem quer água fria
tem gato dormindo de dia
tem graça
tem sem graça
tem poesia na poesia...

terça-feira, 13 de novembro de 2012

poema duplo sustenido




todo disfarce não cabe
poema todo invade
gestos sentimento
semântica se revela
aberta porta da alma
mágica de mãos poderosas
luzes de amplos faróis
sóis de todos os brilhos
inaudíveis rouxinóis
voam
acolhem
bolem na mobília
assaltam as canções...

andam pela casa
desamarram dos tênis os cordões
visões de serena loucura
impacientes figuras
impulsionam ar aos pulmões...

sentir leve sopro de brisa
salivar como os cães
gargalhar depois do riso
adoçar olhar com flores
amores de seda em lençóis...

versos de âmbar cor
sabor de múltiplos gostos
desgostos de mundo moderno
inverno de alma infeliz
aprendiz de todas as curas
ouvidos de todas as vozes
aroma de pão ao forno cozido
ah... sentidos de versos reversos de sentidos
versos de poema duplo sustenido...

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

quingentésima postagem


                                               flores... coadjuvantes aplicadas em maude poesia...



Esta é a quingentésima postagem, desde o primeiro poema postado em maude poesia em 04 de março de 2011.

São mais de dezenove meses de vinda quase diária a este espaço de expressão de um jeito simples, sincero de ver, de sentir...

Não são quinhentos poemas, vez por outra publico músicas, poemas de outros autores. Orgulham-me... Encantam-me com suas expressões...

Sentimentos por mim identificados - ou não - enchem meu interno espaço de incontida felicidade...

Verdade da alma me faz externar na poesia sentires que me movem para adiante com alguma reflexão do que já vivi...

Na poesia me faço, me refaço, me entristeço, me alegro, me vejo na busca do próximo passo, na espera de um sempre sincero abraço...

Poeto por inspiração, poeto desde o coração, não tenho intenção de fazer literatura...

"Neologizo" quando quero... Descarto caracteres maiúsculos - maiúsculo é o sentimento. 

Entendimento na poesia é diverso, varia com o leitor, difere com a direção do vento... 

Poesia tem movimento, tem significado de alma, tem a calma da aurora tingida de muitos matizes, também traz cicatrizes, mas traz, acima de tudo, profundo amor pela vida!

Se gostas de ler o que escrevo, vem sempre que desejares, sem compromisso de deixar comentário, mas se o fizeres, terei prazer em te ler...

Grande abraço!

      

mil barcos de papel


                                                                          art by Ja Muller


 chuva canta desde cedo
finos frescos pingos
molham pétalas
lavam folhas
antes empoeiradas
agora lavadas...

parecem sorrir
desde a porta aberta
chuva aperta
em alto som a canção
lua nova chega
movimenta estação...

amo chuva
natureza em revolução
transformação de jeito
mesma determinação...

com telhado reformado
ah... goteiras desaparecem
não há mais preocupação
também dos internos pingos
não mais há velha melodia...

serena sensação traz o dia
quietude
harmonia
atitude diante da chuva
da memória em enxurrada
com destreza de corcel
pela correnteza
traz mil barcos de papel...

domingo, 11 de novembro de 2012

O Poeta - JJ Oliveira Gonçalves

aspargo de jardim - photo by JJPoeta
                                                                                                          

O Poeta
( À poetisamiga Vera Luiza - Maude)
J.J. Oliveira Gonçalves

O poeta eu sei: não tem nome
Sua Identidade é a Poesia!
Embora a Dor que o consome
Canta a Paixão que o crucia!
                                                                                                              

                               Porto Alegre,11 de novembro de 2012

O poem a(não precisa dizer mais!!!!!!!), a flor (amei!!!), a dedicatória (sempre generoso amigo!!)...
Caminhos do Universo que não compreendemos, nos trazem o carinho da amizade...
Obrigada, poetamigo JJ!
Afetuoso abraço!
Vera Luiza - Maude Poesia 

assim como as rosas

                                                           photo by maude poesia


no jardim
rosa quase despetala
pétalas mostram vivência
depois ao vento voarão... 

assim como as rosas
pessoas chegam à vida
mostram-se
aprendem
ensinam
partem
hora de ir embora...

hoje vejo a rosa
num tempo de despedida
na partida de outra rosa...

momentos na infância vividos
suave tempo de doçura
trazida no mate servido
com açúcar
com carinho...  

as duas irmãs de meu pai
tia silvana... já falecida
tia belmira... até ontem com vida 
em crianças nos dedicaram
afeto ofertado
a maneiras de titias
abundante em alegrias...

como flores distantes no tempo
perfumaram com encantamento
com fragrância indelével
suas moradas na memória...

agora outra história
no adeus à tia belmira
a lembrança do mate doce
faz menos amarga a partida...

no jardim
novas flores aparecem
outras serenamente envelhecem...

de onde a poesia


                                                           photo by maude poesia


de onde a poesia
onde está...
na natureza
manifestações de beleza
pura poesia são...

no céu nublado
ensolarado
de inverno
de verão...

no alvorecer em sinfonia
de matizes
de gorjeios
esperança renovada
em plena madrugada...

no dia de mil fazeres
no sentir de mil quereres
na chuva em pingos finos
num passante apressado
guarda-chuva empinado
como pandorga a voar
pra infinito lugar...

poesia no olhar
profundo
ouvinte atento do mundo
interno abrigo da alma
azuis
verdes
acastanhados
convites compartilhados...

poesia...
na paisagem
na miragem
na intenção
na dor
na cor
no desentocar de sonhos
nos sentimentos
escondidinhos lá dentro
postos a nu ao vento...


sábado, 10 de novembro de 2012

viva canção


                                                                     photo by maude poesia
 

manhã de vozes humanas caladas
enfeitam madrugada cantos de bem-te-vis
voam ao frescor da suave claridade
na serena felicidade com eles a voar...

fina aragem encobre o sol
arrebol tarda
manhã resguarda umidade
aspersão feita
pingos se ajeitam nos ramos
escorrem à terra
na espera de outros que do céu virão...

clima seco impera na primavera ainda
prometida chuva talvez chegue
dias de forte sol reinam
queimam
invadem como quentes tardes de verão...

aprecio a mudança das estações
na dança da natureza beleza incontestável
ritmo lento ou apressado compasso
aprendizagem no passo
a mover o mundo em viva canção...



sexta-feira, 9 de novembro de 2012

generosa presença

                                                            photo by maude poesia



surgiu pequenina planta
em meio ao inverno
soprou frio vento
geou na madrugada
continuou determinada...

vendo tanta valentia
um pouco auxiliei
tutorei galhos
amarrei pequenos brotos
a crescer continuava...

fortificou disposição
a subir pelo pessegueiro
companheirismo exposto
em pleno céu de agosto...

florescia
duvidei frutificasse
florezinhas caíam ao forte vento
da primavera tresloucada...

a sorrir hoje percebo
rubros doces frutos chegam
vovó... outro tomatinho.
tá boa essa salada...

aprendo
me rendo 
tanta bravura
tão delicada figura
tão doces frutos
tão generosa presença 
mais forte me fazem na crença... 
  

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

primeiro jasmim da temporada

                                                                    photo by maude poesia


com o primeiro clarão do dia
uma a uma abrem-se as pétalas 
mais se abrirão
com o calor do sol... 

primeiro jasmim da temporada
perfuma a madrugada
com o aroma que o caracteriza
na memória da infância que o eterniza...

brisa da manhá o encontra
se apronta para mais ainda
perfumar o jardim
atrair besouros disfarçados
em esvoaçar apressado
borboletas... abelhas... querubins...

alegra-se alma na observação
brancas pétalas em dádiva expostas
significado da generosa expressão...

 
  

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

simplesmente voar

                                                                        photos by fottus.com

alimento minha alma
no canto brotado
do sentir
do refletir
do observar...

refaço meu pensar
reponho energia
na cantiga de cada dia...

simples
sincero
verdadeiro
se verdade ainda tem vez
se simplicidade conta
se sinceridade tem lugar...

deixo concretude à vista
meu canto se gesta no labor
aprendido desde cedo
num tempo de andar descalço na grama
num tempo de pular cedo da cama
num tempo de brincar... correr...
num tempo de todo dia aprender...

valores se modificam
no tempo
há no entanto os persistentes
parte inteira da alma...

na palma da mão sopro gera esvoaçar
mil sementes no ar
a escolher ninho
a procurar pouso amigo
pra germinar
ou simplesmente voar...

suspiro
ar pelos pulmões
sol a entrar pelos poros
abraço chega
energia se recebe
prece sem voz
intenção agradecida
sinceramente comovida...

terça-feira, 6 de novembro de 2012

nova dança




no frio enrolo corpo no cobertor
expresso do sentir o calor
na beleza da nebulosidade
da natureza em recolhimento
do vento a fustigar a alma
arrepio à porta aberta
mente desperta
infinita madrugada...

ao instigar do calor brotam amplos dias
vida irradia nova energia
ensolarado céu
suado corpo se refresca
sede tem suco geladinho
brisa traz sabor de infância em férias
debaixo das árvores
na correria de bicicleta
memória aberta ao sopro de verão
tardes de mil folguedos
pés nas águas do arroio
noites a observar estrelas
sabẽ-las tão distantes
tão próximas ao vê-las...

curto das estações a dança
danço os ritmos ofertados
aprendo passos dificultados
cada uma os traz
apraz compreender
agradecer pelo privilégio
de participar
de cada nova dança a iniciar...
shall we dance...

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

acorda

                                                        photo by maude poesia

acorda
há flores na janela 
florescem por ti
florescem por nós...

acorda
há cores na estação
esperam por ti
esperam por nós...

acorda
primavera vai alta
sol cedo levanta
canta da alma a canção...

acorda
vida é tão breve
faz teu dia leve
há poesia em teu coração...

domingo, 4 de novembro de 2012

poesia

                                                       photos by maude poesia

poesia faz espaço
na minimidade
na suave perplexidade
no espanto contido
na pequenez maravilhada...

poesia faz segredo
na dor exposta
no sentir oculto
no grito mudo...

poesia faz canto
no cuidado
na dedicação
na expressão buscada...

poesia faz poesia
na obscura realidade
na esperança
na saudade
no ontem
no agora
no amanhã de alegria...

poesia faz lugar
faz acontecimento
faz foco
anula a distração
poesia anda com atenção...

poesia tem do verão o calor
tem do minuano o açoite
tem da geada o arrepio
tem das estrelas o azul na noite...

poesia não tem doçura inventada
tem amargo gosto de luta
cedo da manhã começada
tem véu de seda rasgada
gargalhada que espanta
desata nó da garganta
canta alto
canta só
canta acompanhada...

poesia tem fé
na bênção de cada dia
tem pequenez
tem valentia
tem força domesticada
tem flor no jardim a desabrochar
tem murmurar de onda
tem sombra pra descansar
anseio de próxima hora
caminho de conquistar...


sentimentos

                                                       photo by maude poesia


sentimentos persistem
assistem à passagem do tempo
embrenham-se na floresta dos dias
esquecidos aguardam
abrigam-se calados
acovardados... não...
extintos na aparência
florescerão por certo
ao céu de primavera descobertos...

sábado, 3 de novembro de 2012

pra ser na simplicidade

                                                              photo by maude poesia


promessa da flor
fazer-se fruto
na transformação gestada
na primavera
na generosidade...

sem pressa
com determinação
disposição
sabor elaborado
desde o sol
a chuva
a visita do beija-flor
da borboleta
da vespa atrevida
na manhã nebulosa
antecipação de claridade 
pra ser  na simplicidade...