sexta-feira, 26 de outubro de 2012

eu vou de 13 - poema elitoral




gosto
de ver botões de flores surgindo
mais ainda
quando a natureza as plantou
gosto de ver
cães e gatos dormindo
ao solzinho
ao abrigo
na paz que lhes faz jus ter...

gosto
de saborear fruto do pé colhido
de comer alface com pão e azeite
de usar sorriso como enfeite
de ouvir minhas músicas preferidas
de praticar yôga com alegria
de dançar
de cantar
de brincar
de gargalhar quando bem me apetecer...

gosto
de lembrar sempre de meus amigos queridos
de ouvir amável e doce segredo ao ouvido...

gosto
de ter ideologia política
de receber crítica de cara lavada
de contribuir crendo
fazendo-me participante
grão de areia apenas
mas diferença
na crença de mulher
de bravura herdada
desde as anas terra
na história a enfrentar todas as guerras...

guerras de libertação
de domínio descontente
de fim da escravidão de gente
que há de escolher 
por sua esperança
por sua cabeça
quem melhor lhe apeteça...

gosto
de esperar sempre pela serenidade
após a tempestade
seja ela de desmandos persistentes
de mentiras sobreviventes
de logro que quer sempre reviver
de farsa de encomendada pesquisa eleitoral
disposta a construir curral
de gente que não pensa
de pessoas que justificam
a ganância dos desmandos políticos...


gosto
de estar da vida ao dispor
pra me contrapor às inverdades
pra crer que a educação em pelotas terá lugar
pra desbancar a direita do poder na cidade
pra desmascarar a falsa mudança
pra votar domingo no 13 de novo
13 de lula
13 de dilma 
pra confirmar
povo tem voz
tem vez
tem poder
tem lucidez...

2 comentários:

Luís Coelho disse...

Também gosto e não há nenhuma que não goste. Ser simples, ser gente, ser amigo e ajudar os outros constantemente.

Vera Luiza Vaz disse...

Luis, concordo plenamente!!!
Obrigada pelo carinho da visita!