sábado, 8 de setembro de 2012

madrugada da alma

                                                                                  photo by maude poesia


movimento de nascer
parir novo momento
dar à luz outro fundamento...

não é renascer de acaso
não é soco de desassossego
não é brasa esfumaçada
não é lenha não queimada...

doeu o sentir
doeu o perceber
doeu o saber-se só
só de sempre ser só
de sempre entender diferente
só de crer ímpar a vida
desde o nascimento...

companhia das estrelas
da natureza em magia plena
da pequenez dos problemas
das palavras aguçadas
pela energia emanada
na luz da madrugada da alma...

companhia da emergência
da suavidade
da eloquência de viver
de saber-se possível
de ver-se ao sol nascente
ao luar
ao início no entardecer...

só junto à suprema expressão de sentido
ao esquálido empertigar do nada da matéria
ao emergir da intenção de ir
de continuar
de crer
de orar
ao sol
à chuva
em agradecimento
em comunhão de entendimento...

Nenhum comentário: