segunda-feira, 17 de setembro de 2012

clave de sol


                                                                     photo by maude poesia


não sentir
não posso
ressentir
não devo
me atrevo a sonhar...

depois sair
da linha
ou nela ficar a poetar
sem cura pra alegria
pra sinceridade
ferir vaidades
aguentar descrença
meu jeito eu faço
decido ser
sem aprisionamento a modismos
a aforismos
a sentenças maledicentes...

dementes palavras
sementes de discórdia
dúvidas sem preço
sem endereço
avesso de mim
inacreditável falar
dúbia decisão
enfim... sigo
a mim
do fim o começo
fecho a porta
outra eu faço
abraço a amplitude
na serena felicidade
todos os dias jardinada
acompanhada
da clave de sol do hibisco...

Nenhum comentário: