quarta-feira, 13 de junho de 2012

nas coxilhas da mente

                                                              "gerânio na noite fria" photo by maude poesia


anda no ar
sopro de energia
na manhã nascente
no dia prometido
na tarde fria...

gerânio insiste
na noite gelada
inventa possibilidade
sensibilidade posta
florescência existe...

tudo se move
na intenção
desejo interno
boca calada
não importa frio
não espanta manhã gelada
mente adornada
de perfume
de magia...

inexplicável sentimento
desde confins do tempo
fundamenta lida
aquece vida
desassombra alma...

calma de outono
derradeiro momento
antes do minuano
nas coxilhas da mente
a soprar demente
urgente expressão
compasso de coração
no inverno da poesia aquecidos...

2 comentários:

Anônimo disse...

Bom dia, Maude...

Que belamente singelo e poético...
Por isso, estes versinhos para essa amiga e conterrânea:

Gerânio na noite fria
Imagem de Solidão...
Tão silenciosa Poesia
Me tocando o coração...

O coração de poeta
Que vive de Inspiração...
Irmão-gêmeo d'Alma inquieta
Onde a flor vira Emoção!

Ah, nas coxilhas da mente
O pensamento trabalha...
Flor é verso comovente
É rima que a noite orvalha!

Galopa - se estende à frente
Que a Metáfora o agasalha:
Na flor - um dia, semente
O pensamento se entalha!

Gerânio, noite, coxilha
Imagens... Filosofias...
Ao poeta: indício, trilha
Do Deus-Pai nas noites frias!

Com franciscano abraço!
JJ!

Vera Luiza Vaz disse...

Lindo poema, amigo poeta conterrâneo JJ!
O Grande Pai é fundamento de tudo...
Por isso não há tristeza que persista, não há mal que não cure...
Obrigada pelo carinho do comentário tão envaidecedor a quem o recebe... rsrsrs...
Retribuo com afeto o franciscano abraço!