sábado, 2 de junho de 2012

na trança do tempo

                                                                                         photo by maude poesia


olhar no céu
não esquecer do chão
asas no alto
pés no caminho
sozinho
acompanhado
amanhecer chegado...

reflexões não tarde
observações
agradecimento sempre...

como não fazê-lo
ao dia claro
ou nublado
na alma há claridade
na verdade da vida
na generosidade da lida...

ferem desigualdades
cicatrizam antigas feridas
na força da amizade...

dia anúncio de esperança
na trança do tempo
sem chuva
sem sol
sem vento...

2 comentários:

J.J. Oliveira Gonçalves disse...

Ah, Maud...

Na trança do tempo
na onda do mar
no uivo do vento
no ai da distância
na paz do infinito
no silêncio das coisas
na garra do frio
no fio da teia
e em tantos que-tais
que Deus fez tão bonitos
o poema se escreve
de si mesmo ele nasce
e na Alma se insere...

Abraço fraternalmente bageense!
JJ

Vera Luiza Vaz disse...

Obrigada sempre,querido amigo poeta,pela intervençãopoética, fraterna, carinhosa...

Agradeço comovida!

Abraço!