domingo, 17 de junho de 2012

lei da natureza

                                                                        photo by maude poesia


folhas dos galhos
pendem
amarelecidas
balançam
conscientes
talvez
inconscientes
não sei
sopro impaciente
final desta etapa...

no tempo dado
formam sombra
descanso aos pássaros
em amplos braços
até depois do entardecer...

celeiro às corruíras
aos pardais
aos beija-flores
filhotes crescem
nos espalhados galhos
plenos de folhas
de frescura
de alimento...

outono andou
sudeste soprou
na madrugada
trovejou
relampejou
calçada ornada
folhas levadas
lavadas
pingentes
caídas asas
despedem-se
desde o alvorecer...

orgulho inglório
humanas figuras
impertinência pura
nos procederes
se folhas
teriam utilidade
transmutariam
lei da natureza...

Nenhum comentário: