quinta-feira, 17 de maio de 2012

poesia não é agrado

                                                                                                photo by projetogaiolaaberta.wordpress.com


poesia não é agrado
não pede passagem
faz caminho
faz ninho
alto voa
na garoa
na ventania
sente agonia
inquieta o espírito
respira
tosse na gripe
nada em águas mansas
afoga-se na adversidade
sente saudade
fica insone
com fome de mente aberta
faz descobertas diárias
sabe um pouco de nada
fica no modo mudo
fala pelos cotovelos
desenovela novelos de lembranças
desfaz tranças apertadas
sente-se sozinha
fica contrariada
levanta cedo em bocejos loucos
tarde não faz história
visita guardados
da memória
chora
se descabela
espera
conclui
intui
desanda em expressões do infinito vindas
desentende inspiração
não tem pressa de nada
urgência de amizade
carência de seriedade
nos olhares
nos gestos
nos restos de generosidade
espera sinceridade
aplaude uma linda canção
dança a vida
flexibiliza-se
cicatriza machucados
improvisa
realiza o presente
serenos
ousados são seus versos
poesia não é agrado
talvez agravo
a opressoras posturas
a tristezas
a amarguras
poesia  inventa sol
banha-se ao luar
traduz sentir do vento
comunga com a natureza
não sobrevive presa
ama a liberdade
nasce no fundo da alma
tenta traduzir sentimentos...

2 comentários:

Giuliano disse...

La poesia è il messaggio dell'amore mai deve "accontentarsi"

Vera Luiza Vaz disse...

Questo messaggio proviene dal cuore dell'anima, e nessuno sa dove va ... che è venuto ...
Grazie, amico Giuliano!