terça-feira, 8 de maio de 2012

Oi, de casa... (JJotaPoet@)

                                                                            photo by maude poesia


Oi, de casa...


Vera (ou Maude?) minha amiga
Em teu Cantinho Encantado
Meu verso faço em cantiga
E a rima em tango ou fado!


Do Silêncio faço Prece
Brotada do coração!
Amigo que não te esquece
Por Laços-de-Afeto: irmão!


Parabéns, pela Beleza
Fazer de Amor um jardim
Onde Mamãe-Natureza
Nos leva d'Alma o spleen!


Aqui, deixo meus versinhos
De outonal inspiração!
No "Blog" - flores, bichinhos:
Leveza e Paz - Comunhão!



Com o abraço franciscano
De um José de nome João!



JJotaPoet@!
Porto Alegre/RS


 

Nota: Não canso de afirmar que a amizade é a mais perfeita forma de amor!
Tenho amigos queridos que fazem minha vida cotidiana mais leve e feliz com suas presenças, com seus incentivos, com seus afetos, com suas honrosas amizades!
Dentre esses amigos, de longe e de perto, que vejo seguido ou que nunca vejo, está meu querido amigo e poeta JJ.
Hoje recebi uma linda homenagem, numa primeira visita anunciada, que desejo não fique apenas nesta, acompanhada de um lindo poema!
Publico-o, então, com muita alegria. Pinto-o com a imagem da filha e de um cão! Nossos amigos sempre fiéis!
Obrigada ao amigo JJ pela honra da visita e do poema!
 Agradeço, também, a tantos amigos que, mesmo incognitamente, me emocionam e incentivam com suas frequentes visitas!
A alma da poeta agradece comovida a todos!

7 comentários:

São disse...

Também sempre disse que amizade é o amor na sua forma mais oura.

E também tive uma dálmata maravilhosa!

Um abraço grande, amiga querida,

Vera Luiza Vaz disse...

Amiga São, não por acaso a amizade acontece... Temos muitos pontos em comum... Ah! Nossa Dálmata, chamada Rebeca, é o carinho, o afeto, o companheirismo em forma de cão! Eles são amorosíssimos, não? Como foi a tua experiência com uma Dálmata?
Grata sempre pelo incentivo da visita!
Abraço!

Luiz Carlos Vaz disse...

Esse JJ é um "franciscano amigo" - por enquanto - virtual. Abraço.

Vera Luiza Vaz disse...

Amigo mano Vaz, ter amigos emociona e honra à poeta da simplicidade...
Ter um "franciscano amigo", além de emoção e honra é alegria infinita, assim como deve ser a amizade, até porque esse poeta é conterrâneo... Olha a responsabilidade...rsrsrs...
Grato pela visita e aparece, tchê, pra sevar um mate!
Abraço!

Vera Luiza Vaz disse...

hummmmmmmmmm... esste "sevar", aí de cima, não é com S, é com C... cevar: engordar... rsrs...justamente o que se quer fazer com a erva-mate; ao contrário de "sevar" com S que é ralar, o que não se quer, de nenhum jeito, fazer com a erva...rsrsrs...Feita a correção, agradecemos!

J.J. Oliveira Gonçalves disse...

Pois, Vera e Vaz...

Sou um franciscano amigo
E um amigo franciscano!
Daqueles do tempo antigo
Daqueles de todo o ano!

Com essa mui singela (e sincera) trovinha, venho rabiscar Sentimentos no "blog" da Maude - essa guria de Bagé e do nosso inesquecível "Estadual", (onde estudamos Ginásio e Científico, mas não nos vimos, então), que tem o Dom da palavra e que a talha no formato da Ars Poética... Mas não é a palavra apenas bem cuidada, trabalhada: é a palavra feita de Beleza e recheada de Sentimento! Pois, é... Aqueles professores e aquelas professoras que não nos acompanham mais, fisicamente, creio estejam felizes pelos Mestres e Mestras exemplares que foram - nos passando conhecimento, nos esclarecendo o Espírito, nos lapidando a Alma e fortalecendo o coração, nos aconselhando para os Dramas inevitáveis da Vida...
Vera, minha amiga: já espiara outras vezes este teu cantinho poético... Mas, abatido pelas tocaias desta mesma Vida de que falei, acima, não tive coragem de rabiscar alguma coisa... Tive que dar (muito) tempo ao Tempo e mais, ainda, aos meus Sentimentos, então, machucados... Porém, aqui estou, minha amiga - e o prazer, a honra e a alegria são meus. No mínimo, divido tudo isto contigo - em partes fraternalmente iguais!
Ah, a foto (familiar) com que ilustraste versos e rimas deste poetinha de Bagé, eu a recebo, emocionado, e já está guardada no Cofre do coração, lá, onde as gente guarda os Tesouros Espirituais, ou seja: palavras, versos, lembranças, imagens, melodias,fragrâncias, bichinhos, pessoas, Sentimentos, enfim, Crenças que não têm preço, mas têm uma Razão Espiritual de ser!!
Vera e Vaz: abração franciscano para todos - agradecendo, sim, a Paz e a Ternura que leio nos olhos de calmaria da Marília (que já tem nome de Musa) e da Rebeca (que reconheço de minha "Tribo de Assis")!
JJ!

Vera Luiza Vaz disse...

Caro amigo/poeta JJ, imensamente grata e emocionada, agradeço pela presença, pela homenagem em forma de poema, hoje pela trovinha tão amiga, por tudo e pela honrosa amizade!
Quem tem amigos assim, tem o maior tesouro do mundo!
Alegra teu coração, amigo, tua energia, teus poemas, teus sentimentos fazem falta; são um presente sempre para nós!
Grande abraço!