terça-feira, 22 de maio de 2012

me criei em bagé

                                                            Antiga foto em P&B de Bagé - RS - 1969 - in todaoferta.uol.com.br                         

                                                                                                                                                                 
 não sei se foi minuano
de rédeas soltas no inverno
nas frias manhãs de geada
esculpida desse jeito
de sinceridade um defeito...

clareza nas assertivas
não me venhas com evasivas
já mandei índio embora
por mentira descarada
com a roseta da espora...

dou risada
faço troça
amo a vida
falo alto quando quero
sussurro se me convém
só me detém meu pai
do céu quando quiser...

sou mulher de energia
gaúcha...  me criei em bagé...
decido a minha vida
tenho responsabilidade
tantos nem sabem o que é...

brigo por questão de justiça
respeito gente... bicho... natureza...
a alma não vive presa
alto voa na poesia
nascida nas travessias
de arroio de frias águas
na infância... e todos os dias...

6 comentários:

SOL da Esteva disse...

Vera, Querida

Um Hino ás Raízes. Um Hino á Liberdade.
Amei.

Beijos

SOL
http://acordarsonhando.blogspot.pt/

Felisberto Junior disse...

Olá!Bom dia!
Tudo bem?
...estou gostando de ler seus textos, porque assim vou conhecendo a mulher extremamente guerreira, que não perde a essência: a sensibilidade e o amor pela simplicidade.Nasceu em Bagé? Pelo que eu me lembre, rsrs, foi Proclamada a República Rio-grandense no período da Revolução Farroupilha neste local...
Obrigado pelo carinho da visita!
Boa terça!
Beijos com carinho

Luiz Carlos Vaz disse...

essa vai para o vg...

Vera Luiza Vaz disse...

Sol, se formos atentar, o lugar onde nascemos ou onde vivemos os primeiros tempos de nossas vidas, nos dá uma dimensão de vida quase definitiva... Depois vem uma certa lapidação, mas a pedra fundamental já foi colocada...rsrsrs...
Amo os lugares onde vivi quando criança. Suas gentes, seus jeitos, seus climas, suas geografias... tudo fez parte de uma época mágica que hoje vive alegremente dentro de minha memória...
Obrigada pelas amorosas palavras!
Abraço!

Vera Luiza Vaz disse...

Amigo Felisberto, Bagé sempre teve participação definitiva em todos os momentos passados de nossa história riograndense e brasileira, mas a chamada Capital da República Riograndense durante a Revolução Farroupilha foi Piratini que fica "pelas mesmas bandas, um pouquito mais pra cá..." rsrs...
Com o clima de extremo frio e vento minuano de minha infãncia, não dava mesmo pra não ser de outro jeito...rsrs...
Obrigada pelo carinho das palavras e pela gentileza da visita!
Grande abraço, amigo!

Vera Luiza Vaz disse...

Opa, mano Vaz!
Pois o vivente gostou mesmo dos meus versitos?
Sirva-se, à vontade, tchê!
Hoje me "baixou" um espírito de alma "mui guasca"!!! rsrsrs...
Quebra costelas, mano veio!