segunda-feira, 2 de abril de 2012

saudade

                                                                                    photo by maude poesia



saudade do verde de infância
do vento frio no rosto
da travessia pelas pedras no arroio
no caminho pra escola
do jogo de bola à tardinha
da correria pelos campos
do balanço no cinamomo
das tarefas na mesa da sala
do café debaixo das pitangueiras
dos recortes na revista cruzeiro
nos dias de friagem e chuva...

saudade vem da memória
de tempos e de lugares
de amizades e de professores
saudade de amplos sabores...

saudade de lugares não visitados
de pessoas não conhecidas
de flores não observadas
de mares não navegados
de rios não atravessados
de céu não olhado
de abraço não abraçado...

2 comentários:

Luís Coelho disse...

Um poema de saudade e de desejo onde não se sabe onde um acaba e começa o outro.
A fronteira hoje é a nossa imaginação
Recordamos outros tempos e outros sabores. Muitos sois de madrugada e tantos dias de grandes amores impossíveis para todos, mas eram possíveis na nossa alma.

vera luiza vaz disse...

Presença de gentileza e sensibilidade!
Obrigada, caro amigo Luís Coelho!
Abraço!