segunda-feira, 30 de abril de 2012

doceamarga a vida

                                                     interior de Pelotas - RS - Brasil - photo by Aninha             



fundo poço
profunda memória
largas margens
rio da espera...

ampla sabedoria
pra aprender todo dia
urgente faz-se a vida...

querer intenso
inventar sereno
aceitar proposto
gosto de escola
livro não lido
saber não sabido
verso na lembrança
ampara o percebido...

palavras se enfileiram
aquietam-se
buscam sentido
fundamento
no vento da memória...

enredam-se fios
preenchem vazios
assobios se ouvem
ressoam do alto do cerrinho
friagem no rosto
rio escorre desde agosto
não há desgosto
há constatação
avizinham-se tempos
de esquecimento...

história de chegada
de partida
alegre
entristecida
tece fios
agulhas escolhidas
desde manhã amanhecida
até o último pôr-do-sol...

amenos tempos alcançam espaço
braços abraçam
energia irradia
doceamarga a vida...

domingo, 29 de abril de 2012

argamassa de alegria

                                   Ensaio Poético e Visual por meio de imagens e movimentos "Perfume de argamassa" (GO) 
                                                                       Mostra Nacional Funarte de Dança e Teatro - Mambembão 2012- RJ
                                                                      photo by funarte.gov.br



amparo sonho
risonho despertar
por que não ir
novo dia chama
pra realizar...

se no tempo
aborrecimento aparece
crescem paciência
entendimento
ausência de lamento...

agradecer... preciso...
pela compreensão da hora
pelo agora sempre multiplicado
de amplas alegrias feito
sem preconceito com a verdade
com jeito claro de simplicidade...

se simples parecer sem graça
isso rima com desgraça
de vida
de sentimento
de perspectiva
de olhar-se
ver-se por dentro
de enfrentamento do real
fora do viver artificial
do que está em volta
sem volta...

se orgulho assombra
orgulho serve pra enfeitar
cabeça descomposta
alma desconectada
da chama da vida
porta de saída
da energia vital
com autonomia de felicidade
com argamassa de alegria
construída dia após dia...

sábado, 28 de abril de 2012

na tarde gris

                                                                                photo by maude poesia



nubla céu
aclaram-se sentidos
vividos tempos
surgem atrevidos
suaves lembranças
adormecidos laços
roçam memória
em bocejos escondidos...

amores
dores
pra acatar a rima
ferem ainda
não os acordemos
tempos de lamento
foram preteridos...

céu nublado sereniza
ameniza sentir descontente
fere-se a gente
se quiser ver preso
desejo de nunca ter sofrido...

sofre o poeta
agradece todavia
não se aprende na vida sem sofrer
refugia-se alma em agradecimento
a cada nascer de um novo dia...

de escuro pinta-se firmamento
no vento... no vento... a certeza
presa não se faz a alma na tarde gris
faz-se aprendiz de vida e de sentimento...

sexta-feira, 27 de abril de 2012

vaga a vida

                                                                    photo by fotki.com.br



não se traduz
não se expõe
não alcança superfície
interno sentir
pensar de raiz
não tem expressão
não tem caminho de saída...

não fala a alma fundamentos
expõe sentir poético
desaquieta a vida
expressão surgida
de passagem...

arrastam-se móveis
abrem-se gavetas
mostram-se quadros
fotografias da entrada
fechadas portas
das profundezas da alma...

sopram versos de poesia vaga
vaga a vida
nau de partida do porto
pra singrar mares
conhecer lugares
amores de significado
verbos de sentido escancarado...

quinta-feira, 26 de abril de 2012

calado olhar

                                                                                                           photo by maude poesia


tanto fazer
tanto pensar
escorre hora
lenta
apressada
nada desvia gesto
inquieto
desagrada fato
dou comida ao gato
olho céu
olho verde
amarelecendo devagar
folhas a tombar...

seguem ação
movimento
ausência de vento
brisa calou
garoa chegou
olhar emudece
vago
longe
pensativo
calado olhar...

quarta-feira, 25 de abril de 2012

palavras geladas

                                                                               photo by maude poesia



tarde do dia
tarde da tarde
arde sol
desaparece
da parede
rede não balança
frio compõe
de outro jeito
o dia
desde a fria manhã...

interno sentir
externo vestir
vaga luz se anuncia
do entardecer
céu nublado
nuvens esfiaparam
bordaram sem risco
rabiscos no céu...

outono alto
descompasso
aconchego de abril
desandou
massa de bolo ao vento
arrepio de frio
sentenciou destino
menino desencantou aurora
na demora de crescer...

claro
escuro
movimento do mundo
chegam ao ar
calado
bordado
azulado
acinzentado
cores paradas
palavras geladas...

verbo inoportuno


                                                   Passeio de trem pela Serra do Mar - Paraná - Brasil
                                                                                             photo by image.olx.com.br



de repente
anda no ar tom desbotado
tom desajeitado
como desajeitados
tons inventados...

sentimento orquestrado
desde longo tempo
ah... me lembro...

vitimizar-se
verbo inoportuno... sempre...
precisa plateia atenta
chora
lamenta...

dança inventada
teatro dissimulado
num segundo trem parte
vida segue
vida breve
muito pra se viver...

segunda-feira, 23 de abril de 2012

mil vezes... depois mais mil...











                                photo by sintoniauniversitaria.com.br
                                                                 photo by ncsdobrasil.com
                                                   
                                                         imagem de shiva nataraja - o rei dos bailarinos -
                                                                                                  criador mitológico do Yôga


falou o mestre um dia
precisamos mil vezes repetir
depois mais mil
se desejamos compartilhar...

para não ser esquecido
para de fato ser aprendido
mil vezes repetir
depois mais mil...

mil vezes ouvi
depois mais mil vi
verdade
honestidade
dedicação
dignidade
respeito
então...  aprendi...

domingo, 22 de abril de 2012

livre sinfonia do ocaso

                                                                
                                                                            photo by maude poesia      

não...não calarei voz
inspiração não cala
invade
vontade de gritar
impulsiona...

não... não me acostumarei
se discordo
gritarei...

alto direi
verdade
respeito
valem
constroem...

orgulho espanta
cega
traz ignorância
gesta males...

sincera simplicidade
ah... gera abundância
de generosidade
de amizade
de amorosidade
de liberdade...

livre da literatura imposta
na torta postura intelectual
sou avesso
sou rosto lavado
sou pés descalços
de limitações
de sensações combinadas
de mãos atadas
às costas das imposições
sociais
banais...

atônita diante das incapacidades
de leveza
de generosidade
sigo
levo comigo amizade farta
olhar atento
alegria no rosto
do nascer do dia
até a livre sinfonia do ocaso...

agonia do planeta

Turma da Mônica - criação de Maurício de Souza


aprender
reaprender
vocábulo... não sei...
sei necessitamos rever
atitudes
hábitos
costumes
posturas...

predamos os animais
as matas
envenenamos o ar
a terra
as águas...

maltratamos seres
poluímos planeta...

há que se mudar
ou nada mais haverá
nada para chorar...

gerações virão
nossos descendentes
nossos filhos
nossos netos
condenar-nos-ão..
por insensatez
por estupidez
por ganância
por egoísmo
por orgulho de erroneamente
nos considerarmos
donos do planeta e da criação...

na correta agricultura
única maneira
de alimentar futuras gerações...
ou fome mais se alastrará pelo planeta...

continuamos a absurdamente criar
sacrificar
molestar sem dó nem piedade
seres de todas as espécies
como gourmets do surreal
predadores da vida animal...

ignorância mãe de todos os males
cega visão clara da solução...
argumentamos com hábitos
costumes...
ora... quem sabe agora faremos
um enorme circo romano
atiraremos humanos aos leões...
ah... pois era hábito
era legal
mas a civilização evoluiu
os costumes
as leis mudaram
mudemos nossos hábitos então
para o bem
de futuras gerações também...

por que não vemos então...
se temos razão
se temos... parece...
sensibilidade
por que continuamos
a não querer ver
o que à nossa frente está a acontecer...

pare... o que está a fazer agora...
esta na hora de perceber
ou nada mais haverá a fazer
se não apenas dolorosamente presenciar
agonia da humanidade
agonia do planeta...

Earth Day April 22, 2012



Make Earth Day Every Day your motto. Think before you act. How will I affect the planet? How can I make this world a better place? Homeopathy World Community encourages healers around the world to educate clients, patients and the public about safe alternatives to healing the earth and humanity.
Social Network Community of Professional Homeopaths
http://homeopathyworldcommunity.com
FaceBook Fan Page that informs the public
http://www.facebook.com/homeopathyworldcommunity
Weekly Online Radio Show With Topics of Learning and Awareness | Organon of Medicine | Organic Gardening | AgroHomeopathy | Vaccinations and Your Rights in the US
http://www.blogtalkradio.com/homeopathyworldcommunity

matters

                                          Cascata do caracol - Gramado - RS - Brasil - photo by baixaki.com.br



what matters is your heart
the way you live
to whom your affection you give...

matters
if you see inside your mind
if you listen to your own voice...

matters
if you look around
with eyes of seeing
flowers
birds
sun rising...

matters
if you can feel
wind in your face
warm embrace...

matters
if you have hope
if you believe in yourself
if everyday you do your best...

matters if you can see the lies
if you give liers what they deserve...

matters
if you fight for freedom
for peace
for justice
in every heart and place...

matters if you go forward
with hope
with joy
with intention
of beeing
of doing
with all your heart and mind...

matters if you live
with all your body and soul
thanking for beeing alive
part of the universe...

sábado, 21 de abril de 2012

Nothing Else Matters - Apocalyptica



Here Nothing else matters in a classical version by Apocalyptica.
Yesterday we were practicing Yôga with this magic version, mixing classical and hard rock...
Amazing!!
Just to remember, the lyrics...

Nothing else matters (Metallica)

So close no matter how far
Couldn't be much more from the heart
Forever trusting who we are
And nothing else matters
Never opened myself this way
Life is ours, we live it our way
All these words I don't just say
And nothing else matters
Trust I seek and I find in you
Every day for us something new
Open mind for a different view
And nothing else matters
Never cared for what they do
Never cared for what they know
But I know
So close no matter how far
Couldn't be much more from the heart
Forever trusting who we are
And nothing else matters
Never cared for what they do
Never cared for what they know
But I know
I never opened myself this way
Life is ours, we live it our way
All these words I don't just say
And nothing else matters
Trust I seek and I find in you
Every day for us something new
Open mind for a different view
And nothing else matters
Never cared for what they say
Never cared for games they play
Never cared for what they do
Never cared for what they know
And I know, yeah
So close no matter how far
Couldn't be much more from the heart
Forever trusting who we are
And nothing else matters

sexta-feira, 20 de abril de 2012

abraços

                                    cena do filme Ghost (1990) USA, direção Jerry Zucker com Patrick Swayze e Demi Moore



ouve...
música do coração
roçar-te o rosto
entrar-te no corpo
do amor a canção...

ouve...
de silêncio se compõe
intervalo
sussurro
quase mudo
no barulho longe
na dança do horizonte
a encontrar o tudo...

ouve...
gesto de recato
não feito
fato
de sincera voz
detrás do manto véu
encobre totalmente céu...

ouve...
solidão a dois
foi canto... depois
conquistou o sol...

ouve...
na tarde da rima
noite alucina
no canto... nós...

ouve...
rotina fere
não fascina
silêncio é parte
riso
arte
conquistemos laços
abraços
de luz
de carinho
de paz...

silêncio no vento

                                              Cânion Itaimbezinho - Cambará do Sul - RS- Brasil
                                                                                photo by opintornaminhajanela.com.br



de onde energia
de onde vontade
de fazer
de ser
de semear...

força vem
mantém acesa chama
segreda
silêncio no vento
amplo pensamento...

de onde desejo
de estar
de ficar assim
envolto na magia
do dia
do infinito em mim...

interna música se expande
enebriam acordes sonoros
serena música do universo
ao coração compasso e verso...

externo som não penetra
na alma serena e quieta
à luz de iluminada fonte
resplandece...

quinta-feira, 19 de abril de 2012

arte vem do coração



                                                                    photos by maude poesia



canto vida
arte de viver
poesia
não canto o efêmero
não faço gênero...

verdade
ferramenta presente
diariamente
verdade do coração
da ação fundamentada
no compromisso
não no omisso agir...

verdade da alma
da comunhão com a natureza
de beleza exemplar
de simplicidade singular
de generosidade
infelizmente invisível para tantos...

em prantos levam o dia
reclamam até da poesia
de sentir
de ser
de saber do infinito da hora
de crer em si
no agora
vivido de bem com a vida
com alegria assumida...

não se suprime a luta
na conquista do desejado
qualificado...

justiça ampla
fundamento de respeito
conduz no cotidiano jeito
de sentir qualquer questão
do fundo do coração...

perdoem-me
perco a paciência
diante de tanta demência
agindo por este mundo...

gente maldosa
ações de vil sentido
posições de torta postura
envergonham a quem
vergonha tem...

causam distanciamento
não quero esse convívio
não quero mentira à porta
não quero dissimulação...

amo a cara lavada
cara de coragem
de claridade
de sinceridade assumida
diante de tudo na vida...

talvez assim se explique
admiração pelos bichos
de sincera amizade
de verdade no olhar
fidelidade
companheirismo
efusivamente expressos...

também pela natureza
amor e gratidão se explicam
por tudo de bonito a criar
nossa vida a embelezar
sem nada nos solicitar...

canto a vida... então...
a arte de viver
a poesia
não canto o efêmero
não faço gênero
arte vem do coração...

desde o florescer do dia



                                                                    photo by maude poesia


não hei de considerar
habitual
constatar inveja
triste...

alguém falou uma vez
há sentimento assim
em redor de mim
de ti
de árvores a frutificar...

produzir com alegria
com esperança gerar
paz
gentileza
entendimento
poesia...

na verdade
na seriedade viver
faz doer
faz nascer
em algumas pessoas
sentimento de desgosto
pelo bem alheio...

sem receio sigo
semeio fé
serenidade
compreensão
vivo na simplicidade
colho amizade farta
ampla a mesa cotidiana
na poesia do fundo da alma
desde o florescer do dia
até o meu anoitecer...

quarta-feira, 18 de abril de 2012

o mais que perfeito/ / como dizia o poeta




o mais que perfeito (Vinicius de Moraes)

Ah, quem me dera ir-me
Contigo agora
Para um horizonte firme
(Comum, embora...)
Ah, quem me dera ir-me!

Ah, quem me dera amar-te
Sem mais ciúmes
De alguém em algum lugar
Que não presumes...
Ah, quem me dera amar-te!

Ah, quem me dera ver-te
Sempre a meu lado
Sem precisar dizer-te
Jamais: cuidado...
Ah, quem me dera ver-te!

Ah, quem me dera ter-te
Como um lugar
Plantado num chão verde
Para eu morar-te
Morar-te até morrer-te...




Como dizia o poeta (Toquinho e Vinicius)

Quem já passou por essa vida e não viveu,
Pode ser mais mas sabe menos do que eu.
Porque a vida só se dá pra quem se deu,
Pra quem amou, pra quem chorou, pra quem sofreu.
Quem nunca curtiu uma paixão
Nunca vai ter nada, não.
Não há mal pior do que a descrença,
Mesmo o amor que não compensa
É melhor que a solidão.
Abre os teus braços, meu irmão, deixa cair.
Pra que somar se a gente pode dividir.
Eu francamente já não quero nem saber
De quem não vai porque tem medo de sofrer.
Ai de quem não rasga o coração,
Esse não vai ter perdão.
Quem nunca curtiu uma paixão,
Nunca vai ter nada, não.


Nota: Duas versões... Maria Bethania, a primeira, com poema de Vinicius ao início.
 Vinicius e Toquinho, a segunda.
 Escolha a sua preferida e comemore a alegria de viver e de amar!
Abraço!

ao longo da vida

                     photo by carlatavares.blogspot.com

                                                                      photo by cienciahoje.pt


                                                              photo by deliriodesvairado.blogspot.com




                                                                                       
um certo espanto
ou... insatisfação
ou... descontentamento
lamento...
manifesto pensamento
impressiona-me
descompõe-me deveras
sinceras minhas palavras...


imagens publicadas
rostos de juventude expressa
tem pressa o mercado
vender só olhar
rebuscadamente inocente
corpo esculturado
no programa adotado
pra atingir... arrebanhar mais mercado...


poema somente com fotos de musas esculturais
esvoaçantes
imagem paradisíaca
propaganda com belos corpos
outdoors
fotos de capa
valorização do aparente
doente mídia
doente poesia
iludem
punem
degradam...


a nós mesmos
enganamos assim agindo
hei de não me cansar de denunciar
de gritar...


tempo passa por igual
se não morremos antes
temer envelhecer
rosto enrugar
corpo enfraquecer
temos de enfrentar desvalorização
temo enrugar a alma...


mostrar a cara
mostrar a ira
também mostrar a alegria
de ser do jeito que se é
de ter a idade que se tem
de ser
de viver
pra além do aparente
descompasso com o posto...


desmascarar falsa valorização
viver
ter longevidade
com saúde no corpo
na alma
na face feliz
sempre em atitude aprendiz
assim deveria estar composto...


deter o tempo não há como
apenas métodos artificiais enganosos
danosos ao fim
fonte da juventude
só na literatura juvenil...

envelhecemos... sim...
envelhecer dignamente
ritmo certo...

não se pode negar
beleza conquistada
no tempo
porque foge aos padrões
do estabelecido...


quem assim age verá
seu corpo fenecer
sua alma enrugar
adoecer...


urge inventar novo conceito
descortinar dignidade
da experência adquirida
ao longo da vida...

segunda-feira, 16 de abril de 2012

suave hora

                                              painting by Glauco Rodrigues - Bagé - RS - Brasil - ( 1929/2004)



tempo estaca
não quer andar
não precisa ir
quer ficar assim quieto
calado
sonolento
ao sabor de próximo acontecimento
tarda na tarde de abril
tempo não se quer consumir...


tarde se expressa devagar
não há pressa de chegar
não há pressa de ir
olha o ar que dança
suave dançar...

deixa queixa de lado
fica assim parado
respira ar do outono
amplo sono do mundo
neste exato segundo...

fecha os olhos
ouve o silêncio da alma
na calma repousa o agora
suave hora... 

desde a aurora

                                                                                                                      photo by maude poesia


como descrer
dia me faz acreditar
na amizade
no sorriso
na presença
na crença do afeto
no ficar perto
distante
próximo em afeição...

como descrer
jardim floresce
esperança cresce
tudo se renova na manhã...

como descrer
hoje brilha
amanhã se pinta
em azul tinta
de céu presente
no outono do coração...

desde a aurora
agora se expressa em luz
descrer
não há possibilidade
verdade dia conduz...

domingo, 15 de abril de 2012

at the end



                                              image by Oriza Martins


                                                                  
at the end
there will be
only me
and my thoughts
my feelings
my memories...

at the end
there will be
only me
and my past actions
my reflections...

at the end
there will be
only me
and my believes
my faith
my path
my sadness
my joy...

help nobody can
at the end
nobody can
make me comprehend
no one can bring me
my remains...

nobody can pay
what life costs
at the end...

there will be
only me
and my angel
at the end...

sábado, 14 de abril de 2012

a love beyond death

                                          Rachel Weisz and Ralph Finnes - directed by Fernando Meireles - 2005 - USA



do you love me
he asked
yes
she said
smiled both
he would love her more than he could
more than she knows he should
he was the constant gardener
he was constant
he was the constant lover
he was the one who would love beyond death
he discovered she was murdered
he suffered
they suffered injustice
they who knew what injustice was
they showed us what love can do living beyond death...

magali

                                                                                                 photo by maude poesia


ser humano é complicado
ser gato é bem mais folgado
tenho teto
cama
afeto...

tiro soneca no cesto
de amostras grátis até
você quer...
meu nome é magali
sou um felino educado
mas gosto de ser respeitado...

agora... com licença...
vou continuar minha soneca
miau...

sonho e esperança


Enquanto os humanos desacreditam, as orquídeas serenamente continuam a florescer...
photo by maude poesia



desacreditar
tem-se tantas vezes vontade...

desistir
tem-se tantas vezes vontade...

dificuldades
desesperança
descrença
presença de sentimentos de negação...

desmandos
no mundo dos humanos
mentiras
desamor
amargo sabor...

olhar em volta e ver
tanta injustiça acontecer...

assim como novo dia acontece
justiça se tece
não há como impedir...

ritmo do universo determina
ação não nega sonho
ele persiste
ação não exclui esperança
ela resiste
ação
sonho
esperança
o caminho iluminam...

Nota: Dedico este simples poema para São, minha querida amiga de Portugal.
Também a todos os amigos que, longe ou perto, lutam cotidianamente para continuar a ter sonhos e esperança...
Grande abraço a todos!

sexta-feira, 13 de abril de 2012

na corda bamba

                                            "Na corda bamba" - arte de Cristina Bottallo in cristinabottallo.art.br


difícil andar
sem tropeçar
andar requer
equilíbrio perder
à frente ir
faz bem sorrir
chorar a visão
embaça...

jogar-se
saber-se
na corda bamba
ao vento sul
em outono
céu azul...

erguer-se
se acaso cair
limpar o pó
salivar o machucado
coração em céu aberto
remendado...

dói pouquinho
arde o peito
devagarinho
tem jeito
amanhã
hoje
agora
pronto...
lá vamos nós...
coração e eu
não sós...

quinta-feira, 12 de abril de 2012

gratitude

                                                                                                            photo by maude poesia


"if you want to give alms for me,
water a thirsty plant,
feed a hungry dog
and teach the children to gaze to the stars".
   (from a romanian writer)

how sensible these words are
truthfully speak
they come to me
from a distant friend
very close to my heart...

as far as we go on living
we think about real values
about what we do everyday
about what we did yesterday...

time goes
older we get
life is not in vain
if we learn
earn being better
soul full of gratitude
thanking those we love
for being together
supporting us
loving us
thanking nature
for the flowers
the birds
the rain
thanking for the sun
the breeze
the sky above us
thanking for the night
bringing us peace to rest
thanking for health
for having eyes and heart
to see and love
the beauty of simple things...

Note: This poem is dedicated to Roxana - my gentle friend from Romenia .
 I also dedicate it to friends from other places that frequently come to this simple space of poetry, supporting my hope and being my angels on earth.
Thank you!
Warm hugs!

terça-feira, 10 de abril de 2012

alegria se impõe


      Biblioteca Pública de Pelotas - RS - Brasil
      photo by Marília Vaz


alegria se impõe
põe na boca sabor
de fruto da estação
põe no rosto
sorriso largo
olhar aberto...

corpo inquieto
constata vida a fluir
sentir o mundo afável
desde o mundo interno...

alegria impõe calar
ouvir interior
sentidos inusitados
no tempo mostrados...

alegria percorre salas
sobe amplas escadarias
atravessa umbrais
ressente-se por vezes
revezes não permanecem
crescem à luz e à esperança
irmãs de tempos passados
nos sobrados da lembrança...

verbos mudam sentido
sonoridade transita
aflita não se sente a alma
calma amplia visão
ao longo do dia surgem
pensares de nova face
entrelaçam-se com a noite
tristeza veste alegria
enfeita o fim do dia...

domingo, 8 de abril de 2012

concreta felicidade

                                                  Minhas duas extremidades do tempo - photo by Marília Vaz     

cedo o abraço vem
dos braços de quem me trouxe à vida
agradeço comovida...

palavras de carinho
de amizade
tocam o coração
são amigos
são irmãos...

no poema chega o afago
de poética sensibilidade...

voz infantil ao portão
presentinho na mão
abraços
carinho
afeto
fazem o dia completo...


com o passar do tempo
perde-se da juventude brilho
ganha-se em sabedoria
disposição de saúde
de alegria
tem-se carinho pra dar
na recíproca pra receber
afeto pra viver
abundante amizade
riqueza completa
concreta felicidade...

recebi de minha filha Marília hoje

                                                Passeio turístico Curitiba - Morretes através de estrada de ferro
                                                                                                                photo by Marília Vaz


 
Aquela que é o nome ... o verbo ... o verso ...
Aquela que corre ... ensina ... escreve
Aquela que vê ... exclama ... esquece
Em todas elas ... UMA
E, em uma ... ELA: a minha VERA!!
...
_________________________
Beijo pra tu!!!
HAPPY B-DAY!

As nuvens do meu tempo de criança

                                                                                      photo by LCVaz


As nuvens do meu tempo de criança (*)

Luiz Carlos Vaz

(*) Para Vera Luiza, neste 8 de Abril

As nuvens de hoje, creio, não são como as nuvens de quando eu era criança. Não? É, acho que não!

No meu tempo de criança, em Bagé, as nuvens eram brancas. Ah, e lembro bem, o céu era azul. No meu tempo de criança as nuvens, repito, que eram brancas, formavam figuras de animais e coisas... eu e meus irmãos costumávamos ficar olhando para o céu, repito, que era azul, onde as nuvens, que se moviam suavemente, iam se transformando em coelhos, ursos, gatos e em outros bichos que nós só conhecíamos de revista.

Ali (ou lá?), diante dos nossos olhos, poderiam aparecer efêmeras imagens de camelos, elefantes ou girafas. Aquelas imagens, brancas como o algodão, que alimentavam nossos sonhos e nossa imaginação, não davam sinais de que poderiam desaparecer. Na verdade, não sei dizer quando aquelas nuvens brancas e todo aquele enorme céu azul desapareceram. Não lembro quando deixei de olhar para o céu – que era azul - para admirar as nuvens – que eram brancas - e suas formas mutantes. No entanto, neste primeiro fim de semana do Outono, elas – as nuvens brancas como o algodão - apareceram de repente para mim num céu que – como nos tempos de menino - estava azul.

Meu filho pequeno apontou para o alto e disse:

_ Olha, pai, um coelho... Olha só, agora ele perdeu as orelhas, virou um urso...

Imediatamente voltei no tempo e passei também a brincar com as nuvens. Ali, naquele céu, azul como nunca, que abrigava em seu seio nuvens brancas como o algodão, começaram imediatamente a se formar as mesmas figuras de animais e de coisas já conhecidas por mim.

Sob o céu de Santa Vitória apareceram, sem dúvida, as mesmas nuvens brancas da minha infância em Bagé.


Publicado em velhaguardacarloskluwe.blogspot.com

sábado, 7 de abril de 2012

céu e solidão

                                                                    
                                     Arte no muro da Mauá em Porto Alegre - RS -  pelo pintor Mário Schuster de Pelotas


antigo muro sustenta folhagem
florescem ramos
mãos a acenar
portão aberto
esperança inquieta
teima tempo em não acordar...

céu de outono
sono sem sonho
no abandono céu e solidão
azul celeste dobra-se em matizes
no peito em crise dorme um coração...

ao fundo azul aponta o infinito
em grito ecoam suspiros de querubim
amparam em asas desamparado espaço
em amplo abraço tudo ilumina ao fim...

sexta-feira, 6 de abril de 2012

com o tempo


                  photos by maude poesia

                                                                                 
aprende-se a melhor ver
com o tempo
vê-se com mais calma
cada detalhe
o que realmente importa
sem a torta visão imposta
pelo marketing da mídia
pelo sufoco da moda...

aprende-se a melhor ver
por dentro
em volta
no fundo do olhar
na palavra falada
na flor desabrochada...

com o tempo
aprende-se a valorizar
o momento
a amizade
a enxergar a ação
construída com amor
com paixão vivida...

aprende-se a ouvir
a tentar entender
aprende-se a perdoar
a compreender
as diferenças a admitir...

cada ser faz sua trajetória
sua história
por ela tem responsabilidade
isso fica com visibilidade
com o tempo...

com ou sem dedicação
com ou sem vontade
segue a vida
com o tempo...

superação das dificuldades
construção da identidade
dependem do próprio esforço
da disposição posta na diária ação
faz-se essa simples constatação
com o tempo...

iluminada janela

                                                                       photo by casaedecor.wordpress.com


retorna sol lentamente
ilumina pela janela
da casa em amplos raios
da alma em banho de luz...

espaço interno se aclara
aclaram-se quartos e salas
refugiados pensamentos
esfregam olhos
sonolentos...

atiça sol despertar
atenta vida segue
visão redobrada
nas dúvidas encontradas...

caminhada à frente
se ermo caminho... se retorna...
contorna-se estrada apontada
como mais fácil caminhada...

ao mínimo sol agora
amplia-se visão
coração despreparado
em outras situações
aprende a escolher
caminho de todo dia
em agradável companhia...

andam juntos sol e chuva
nuvens em céu sereno
brisas de muitos aromas
águas da fonte fresquinha
aves em canto na madrugada
flores multicoloridas
outono ou outra estação
vivem no coração...

reflexão gera consciência
do rumo certo a buscar
sopra sussurro interno
anjos do céu enviados
abençoam nossa estrada
não estamos sós na jornada...

quinta-feira, 5 de abril de 2012

ensinamentos na tempestade

                                               tempestade se aproxima de Pelotas - photo by capinchocumulus.blogspot.com


céu escuro
vento se anuncia
animais se escondem
no íntimo abrigo
na tempestade
deus e nós...

natureza se expande
mostra forte beleza
recorte na memória
traz outros momentos
de ventos
de céu em escuro véu...

em dia de chuva
fico um pouco calada
tocada pela magia
sabedoria antiga
dizia da necessidade
da tempestade...

vovô à porta sentado
apreciava a tempestade
vovó a benzia com água benta
em fogareiro acendia tições
usava também ervas variadas
em antigos aromas chegadas...

papai o vento cortava
com o machado
aprendera com vovó
não me passou esse fazer
quisera hoje saber...

fazeres plenos de crença
de antiga sabedoria
no agir de respeito à natureza
em suas fortes manifestações...

na tempestade em aproximação
voa-se ao abrigo da memória
de onde chegam mensagens
de posturas em sua história...

em tempo de pressa
onde tudo tem tempo de validade
chegam no vento saberes
de indiscutível verdade...

serenidade age no interno mundo
vivas as lembranças
fortalecidas fé e harmonia
necessárias pra bem viver o dia...

todo um mundo
de ensinamentos vividos
esculpiram meu jeito de ser
minha alma agora então
quer apenas agradecer...

quarta-feira, 4 de abril de 2012

caminho da poesia


                                                                          photo by Giuliano Scheggi

andar
acompanha consciência
da ação
do tempo...

palavra significa
revela
esconde...

aonde se vai
aonde se quer ir
onde se quer ficar...

caminhos
descaminhos
encontros
desencontros...

no ar poesia
expressa entendimento
desentendimento
de mim
do lugar
do caminho...

insatisfação da expressão
quer o dia
a noite
andar devagar
apressada se mover
manter-se
valer-se
desafiar a vontade...

aonde se vai
aonde se quer ir
onde se quer ficar...

insatisfação da poesia em expressar
caminho da poesia... caminhar...

vida teatro


                                                                                         Foto/Divulgação - Grupo Tholl - Pelotas -



desconhecer o coração na chegada
ainda desconhecer na partida
realidade...

quem há de saber
do outro o sentimento
palavra expressa
fantasia
esconde fisionomia...

jogo de cena
personagem fala a fala
adequada à intenção
teatral simulação...

vida teatro
mudo
falado
dançado
representado
variável sentido
sempre teatro assumido...

terça-feira, 3 de abril de 2012

reflexões somente

                                                                                     photo by radiobelasartes.com



profundo sentir
entender ensinamentos
vidas dedicadas ao crescimento
na passagem por este plano...

lugar geográfico
etnia
momento na história
detalhes...

mulheres e homens há milênios
há séculos
há décadas
há anos
hoje
dão-nos exemplos de viver verdadeiro...

mensagens de paz
de amor
de superação
de dedicação
de responsabilidade
de verdade
de respeito por si
pelo outro...

por que nos fazemos de desentendidos...
por que deixamos falar o egoísmo...
por que desejo de poder domina a alma...
por que a inveja e a vaidade cegam...
por que nos impedimos de fraternamente agir...
de serenamente ver... ouvir... viver...

reflexões somente
mas... não posso deixar de fazê-las
por inspiração tenho de expressá-las
por compromisso tento vivê-las...
 

homem de nazaré / an example

                                                      post of the film  "The Passion of the Christ"

homem de nazaré

andar disposto
sorriso no rosto
percorre diferentes lugares
acolhe  pessoas
promove amplas reflexões
leva esperança aos corações...

dúvidas assombram espírito
pede ajuda ao pai
solicita compreensão
entendimento da trajetória
caminho traz contradição...

ama sem restrição
dá exemplo de bondade
compreensão
também de severidade
ao que fere
injuria
mata...

homem de nazaré
exemplo de vida
testemunho de fé
qualquer ou nenhuma crença
de quem dele no mundo saiba presença...


an example

no matter if you believe or not
in christ as son of god
the main important thing is
that he was an example
as many ignored people is
of how we can live
respecting ourselves
respecting others
and the planet...

segunda-feira, 2 de abril de 2012

saudade

                                                                                    photo by maude poesia



saudade do verde de infância
do vento frio no rosto
da travessia pelas pedras no arroio
no caminho pra escola
do jogo de bola à tardinha
da correria pelos campos
do balanço no cinamomo
das tarefas na mesa da sala
do café debaixo das pitangueiras
dos recortes na revista cruzeiro
nos dias de friagem e chuva...

saudade vem da memória
de tempos e de lugares
de amizades e de professores
saudade de amplos sabores...

saudade de lugares não visitados
de pessoas não conhecidas
de flores não observadas
de mares não navegados
de rios não atravessados
de céu não olhado
de abraço não abraçado...

domingo, 1 de abril de 2012

saudável rebeldia

                                                                        photo by imotion.com.br

gosto de trocar
móveis de lugar
fazer circular a energia
gosto de modificar as receitas
de inventar novas
de temperar com novos sabores
antigos pratos
antigas e novas amizades...

gosto do dia ao nascer
nunca antes vivido
aprecio suas possibilidades...
gosto de desobedecer
regras intransigentes
questionar posturas
refletir sobre ideias
mudar se me agradar...

costume antigo
pode ser substituído
se não se quer assim
velhos hábitos e valores
valem pelo fundamento
não pela antiguidade
arejemos
mudemos
em gesso não dá pra viver
pode ser saudável desobedecer...

gosto de desacompanhar modismos
moda é elegante prisão
domesticação de mercado esperto
deve vir a descoberto
rebeldia age em mim...

sou contrária ao posto
se de mau gosto
corajosamente contrario
em questões sem verdade
minha opinião faço valer
no que me dizem respeito
não sendo opiniática
do outro é o caminho
se não interfere
se não fere meu jeito de ser...

desde o início do dia
até o anoitecer
vida tem sabor
de ideia refletida
de jeito livre e bonito de viver...

pretending

                                                                                      photoseimagens.com.br

pretending
compassion
affection
in every heart
do they have...

pretending
good feelings
good thoughts
good manners
in every people
do they have...

pretending
bright sun
bright mind
bright light
in every day
do they have...

pretending
soft words
soft touches
soft lives
for everybody
do they have...

pretending there is always love
justice
peace
respect
friendship
in every heart
mind
place
we go forward
doing what we can
everyday pretending
there is no more pain...

fraternidade em abril


                                                                           photo by site in Google
                                                                                                                      

saio
de mim
de hoje
só estou no agora...

único
certo
ontem era
amahã apenas possibilidade...

agora estou aqui
falo a ti
tenho conforto da amizade
tenho clara manhã
joões-de-barro no cantar
florezinhas a desabrochar...

simplicidade no tudo
verso de gentil suavidade
pra olharmos melhor
quem sabe
hoje da humanidade...

oh... quero ver
vejo...
serenidade nas relações
fraternidade...
fraternidade em abril
hoje
agora
fraternidade no mundo
decisões sérias
corretas
na política
políticos de ampla visão
homens e mulheres de compromisso
com a verdade
com a justiça
com a vida...

insana crueldade

                                                                            photo by baixaki.com.br

gostaria de ser um pássaro
em busca de galhinhos
pra fazer um ninho
um gato... quem sabe...
passeando pelo telhado
um cãozinho mesmo de rua
a olhar atento a lua
vagando lento ou apressado
rumo ignorado...

gostaria de ser borboleta
voando de flor em flor
talvez uma lagartixa
espiando por trás do quadro
na fuga ritmo apressado...

humana...  tão complicado...
gente no rodeio
na arena dor
animal acuado
assustado
aturdido
enquanto todos riem
essa diversão quero não...

evento de teor turístico
turismo de gosto equivocado
ensinado aos pequenos
inocentes crescerão
na ignorância
na maldade
tamanha atrocidade...

não quero nem tentar
compreender insana crueldade
envergonho-me de humana ser
isso não tem entender...


Sinto-me envergonhada por ainda acontecerem eventos desse teor de crueldade contra os animais!
Há um evento assim programado para este mês aqui na cidade.
Existem outras atividades, certamente, para as pessoas envolvidas nesses eventos.
Não basta que AINDA não tenhamos TODOS entendido que NÃO MAIS HÁ NECESSIDADE de humanos matarem os animais para seu alimento?
É hora de reflexão!
É hora de novas ações!
Basta com tanta dor!
É tempo de construir um MUNDO MAIS SERENO, MAIS FRATERNO e essa construção passa por ações de respeito com os animais!