sábado, 24 de março de 2012

sem pressa de voar

                                                                                                    photo by Diário Popular


friozinho gostoso
arrepio na pele
guri o outono
corre no vento
bole na água da chuva
molha os pés no sereno...

animaizinhos ao sol
serena manhã boceja
espreguiça a passarada
avião não buscou o céu
amanheceu devagar
sem pressa de voar...

gente desistiu de andar
na calçada desde cedo
ficou talvez a chimarrear
numa prosa matinal...

alma reconfortada
na paisagem outonal
aproveita a suavidade
do dia
da hora
da mente
em expressão leve e contente...

3 comentários:

São disse...

Adoro voara, mas como sou claustrofóbica não suporto estyar muitas horas num avião...

O poema me agradou .

Desejo excelente fim de semana

Anônimo disse...

Voar é muito bom, mas prefiro aviões grandes. Parabéns pelo poema.

::))::))

LUIZ

vera luiza vaz disse...

Poetas voam até em pensamento... Mais seguro (?), mais confortável(?) e mais econômico...
Obrigada pelas visitas, São e Luiz!
Abraço!