domingo, 25 de março de 2012

dureza da jornada


                                                                       photo by noticias.uol.br


não quero palavra desdenhosa
nem caridosa ação de incentivo
não quero o olhar do inimigo
disfarçado em sincero amigo
quero ampla a fisionomia
clara desde a noite até o dia...

se vens assim serás bem recebido
na certa não serás bem-vindo
se te mostrares apenas compadecido
guarda sentimento de mim escondido...

não desejo ações de compaixão
quero cara lavada na sinceridade
ampla flor de brilhantes pétalas
crescidas ao frio da forte geada...

independente me criou meu pai
ensinou-me a passo firme andar
responsabilizar-me pelos feitos
se com defeitos arcar e aprender...

não negarei  o que aprendi
me fez valente a fria madrugada
elegância se faz ínfimo adorno
um estorvo na dureza da jornada...

pedra atirada não fere só o corpo
causa desgosto ao irrequieto espírito
que livre e firme só se fortalece assim
e livre cresce... e floresce até o fim...

2 comentários:

São disse...

A compaixão não fere, quando sincera. A comiseração, essa, é mesmo detestável.

Uma boa semana

vera luiza vaz disse...

Boa semana pra ti também e obrigada pela visita!
Abraço!