quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

poetar ameno


                                                                                            photo by jm1.com.br



gosto da chuva
seu canto invade a alma
acalma o andar
sereniza a lida
traz reflexões à vida...

chuva na infância
sinônimo de estrepolia
chuva quente
garoa fria
chuva galopeada
não importava
a brincadeira ia solta
qual correnteza
depois da enxurrada...

hoje forte choveu
pingos cantaram no telhado
pelas vidraças escorreram
enxurrada na cidade aconteceu
aves se esconderam
cães adormeceram
gatos se enrolaram
pessoas se recolheram
céu de escuro se pintou
trovejou
relampeou
choveu... choveu...

amo a presença da chuva
abençoa a natureza
com sua água benfazeja
lava
rega
desperta
espera o outono sereno
tempo de poetar ameno...

2 comentários:

Luís Coelho disse...

Um canto à chuva que tarda tanto em visitar-nos.
Sinto saudades desse tempo de ver a chuva a cair fazendo as pessoas correrem e outras se esconderem.
Saudades da chuva fria que caia semanas a fio.

vera luiza vaz disse...

Sim, amigo Luis, a chuva também me traz saudadede outros tempos em que ela dançava ao sabor de música familiar de carinho e cuidado... Talvez isso me faça tanto apreciar a chuva...
Obrigada pela gentileza do comentário!
Abraço!