domingo, 19 de fevereiro de 2012

calma do anoitecer



mansamente a noite vem
traz do anoitecer a fresca brisa
a calma do dia vivido
na interna aventura de ser...

ar alimenta a sede
de ter equilíbrio
lucidez da senda
na escolha de sentido...

porta se fechou
ao forte vento
no templo da poesia
sala permaneceu vazia...

seguem-se dias gelados
de incompreensão regados
na disposição anda a vida
semente gera botão
pra florescer na exata estação...

tempo se encarrega
de tudo reorganizar
sala de estar ajeita
vida segue refeita
pra não deixar de fazer-se
desde o primeiro anúncio do dia
até a calma do anoitecer...

Nenhum comentário: