sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Chico Buarque - Pois é - intertexto: então... o querer...



Pois é - Chico Buarque e Tom Jobim

Pois é!
Fica o dito e o redito
Por não dito
E é difícil dizer
Que foi bonito
É inútil cantar
O que perdi...
Taí!
Nosso mais-que-perfeito
Está desfeito
O que me parecia
Tão direito
Caiu desse jeito
Sem perdão...
Então!
Disfarçar minha dor
Eu não consigo dizer:
Somos sempre bons amigos
É muita mentira para mim...
Enfim!
Hoje na solidão
Ainda custo
A entender como o amor
Foi tão injusto
Pra quem só lhe foi
Dedicação
Pois é!
Taí!
Nosso mais-que-perfeito
Está desfeito
O que me parecia
Tão direito
Caiu desse jeito
Sem perdão...
Então!
Disfarçar minha dor
Eu não consigo dizer:
Somos sempre bons amigos
É muita mentira para mim...
Enfim!
Hoje na solidão
Ainda custo
A entender como o amor
Foi tão injusto
Pra quem só lhe foi
Dedicação
Pois é! Então!
-----------------------------------------------------------------------------------------

então... o querer...

querer é fácil
difícil é saber
se o querer existe ou não
não é subjuntivo
não é indicativo
nem presente o querer não...

quase sempre é passado
na lembrança debruçado
sem futuro projetado
sem compartilhação...

não é justo
é sempre breve
se serve assim talvez
haja um pouco de querer...

se houver exigência
o querer rompe a querência
foge em veloz corrida
para qualquer saída
de qualquer outro querer...

se houver inteligência
o querer olha de lado
não aprova a postura
bem melhor a demência
do que ter esse querer...

então...
fica o dito por não dito
até o infinito
não tem outro jeito não... o querer...

Nenhum comentário: