segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

não me leias

                                                                                    photo by Cícero Faria

não me leias
acaso não queiras
se leres
poderás gostar
da alegria que aqui se encontra
da simples verdade do meu poetar...

não me leias
não sou literária
também não sou mercenária
das letras
ou de qualquer natureza
não estou presa
faço como quero o meu lugar...

não me leias
deixa-me assim
crê
não estarei só...

não me leias
se queres igual
a outros que dizes ler
não crês
mas tenho orgulho
de igual a tantos não ser...

mas lê
se acaso não crês
em olhares enviesados
em suspiros amoados
em gestos desencontrados
em pescoço amarrado em nó
há por aqui um canto
onde o canto é permitido
também tem outro sentido
há compromisso com o belo
que é belo por si só
sem rebusques
sem truques
sem modismos
com defeito
segundo o midiático padrão fanático
mas de ser com amplo direito...

como bem o disse quintana
meu amado poetinha
essa gente embolorada
que anda de nariz empinado
de olhar torto
deixemos que passem ao lado
se pensam intelectuais
só têm pensamentos banais
copiados e decorados
de outros seus iguais
se pudessem escreveriam versos
tais como os que por aqui lêem
creiam
esses pobres coitados
não se sabem ler primeiro
por que saberiam nos ler...


em seu poeminha do contra
quintana faz graça
esses que aí estão
atravancando o meu caminho
eles passarão
eu passarinho...

não me leias então
se teus pés
grudados no chão
não te permitem voar...

Nenhum comentário: