quinta-feira, 17 de novembro de 2011

por entre folhas a espiar

                                                                                                photo by maude
apressada não mais
passo me satisfaz
na bagagem o necessário
aberto o coração
desperto o instinto
na expressão de hoje o que sinto...

alguém dirá por certo
poema sem novidade
respondo entretanto
pleno de legitimidade...

meu simples versejar
verve camoniana não pretende
meu poema tem da vida
a pretensão
o compromisso
a expressão...

versejo em nome do sonho
da verdade
ampla porta à alegria
faz meu canto todo dia...

se o pranto chega
choro a pena da hora
em lágrimas não demoro
embora mando a tristeza
antes que ponha mesa
pra sempre queira ficar...

meu poema anda a buscar
um melhor mundo
tal como pequena branca nuvem
por entre folhas a espiar...

Nenhum comentário: