terça-feira, 5 de julho de 2011

sem chama

                                                           (arte de mario schuster)

fria tarde arde sem chama
sombra retilínea avança
dança no compasso passo quebrado
vento lembrança
tempo criança
trança vida
ilumina paixão escondida

fria tarde arde sem chama
vela espanto
canto de estrela cativa
liberta da noite sombria
descansa em luz a alegria...

2 comentários:

Marília Vaz disse...

A cada minuto uma nova interpretação ...
A realidade está nos olhos de quem vê ...

Lindo quadro! Lindo poema!

MARIO SCHUSTER disse...

é muita honra....