sábado, 23 de julho de 2011

envelhecemos... ou mais jovem ficamos...

abraça a invernia profundamente
encara
depara
encerra
debruça a friagem na terra
escondem-se todos
ao açoite do minuano...

aos poucos o sol insiste
poncho do pobre
dizia vovô antigamente...

nas geladas manhãs e tardes 
ouve-se a passarada
bem-te-vis
corruíras
em canto de esperança
na humana interpretação...

chegam alegremente
risos
gargalhadas
asas espavitadas
trinos
mil gorjeios...

nesse cantar risonho
parecem nos revelar
animem-se
preparem-se
primavera vai chegar...

na mudança das estações
mudamos nós devagar
quase sem perceber
melhor se aprendemos
pior se só nos queixamos...

nesse constante mudar
envelhecemos...
ou mais jovem ficamos
a cada novo anunciar...

dentro do coração é o lugar
onde isso irás confirmar...

Nenhum comentário: