domingo, 19 de junho de 2011

memória de chuva

chuva na madrugada
chega apressada
nada pensamento
vento carrega açoite
no sopro de fresca aragem

segue no dia que surge
busca chão para molhar
encontra sereno lugar
brinca de criança feliz
chora e ri como aprendiz

na tarde dominical
faz jeito de adolescência
em frente ao cine avenida
ou no glória em plena osório
com revista debaixo do braço

sorri na reminiscência
memória de chuva fina
por certo enfeita a menina...

Nenhum comentário: