sexta-feira, 8 de abril de 2011

em oração

renasço ao passo da noite
próxima
defino a hora
deserdo a mentira
em tira de papel
escrevo
enredo de peça antiga

encaro o ocaso
a aurora insiste
assiste ao parto
ardo fardo da compreensão...

tempo de colheita vem
com dor e canto
encanto e pranto revezam-se
impunemente
ao fim da tarde em oração...

Nenhum comentário: