segunda-feira, 25 de abril de 2011

calada

calada a noite se propaga
calada a rua empalidece
cresce o sentido

calada a serenidade se expande
abrange todos os cômodos
incômodos lugares se insurgem
surgem nuvens
murcham plantas
abranda
abranda

calada na lida
fingida sensatez
acomodação impertence

calada desde ontem
no grito de ensurdecer
crer é difícil
impossível é saber

na calada chega a madrugada
da noite
do dia
da consciência enluarada
na calada
calada...

Nenhum comentário: