sexta-feira, 11 de março de 2011

águas de março... enfim...

águas de março
chegam
tarde
sol hoje não arde...

penso tempo
em paz 
leio versos
adorno o dia
de chuva
de cheiro de feijão
no fogo
no jogo da vida
de chegada
de partida...

instante de sereno pouso
repouso
pra retornar
primeira não importa
não quero só ficar à porta
à beira
quero ser inteira...

Nenhum comentário: